24/03/18
TRANSPORTE COLETIVO
Comissão nega reajuste de tarifa
A Comissão de Análise da Planilha de Custos do Transporte Coletivo de Itaúna, formada pelo gerente de Mobilidade Urbana, Audrey Juliano Ferreira Leite, pela gestora de Trânsito e Fiscalização, Cíntia Valadares e pela procuradora-chefe da Procuradoria Administrativa e do Patrimônio, Lécia Celly Silva de Faria, negou pela segunda vez o reajuste no preço das tarifas pedido pela concessionária Autotrans.
Segundo Cíntia, a primeira planilha analisada, no mês de janeiro, com pedido de reajuste de mais de 13%, já veio com vícios. A empresa não tinha em seus quadros os 100% de motoristas e cobradores em todos os horários, conforme o contrato renovado, por mais 20 anos, no final de 2016. Apenas a metade dos horários conta com a presença do cobrador, mas a planilha de custo apresentava a despesa de 100% dos salários destes profissionais.
Comunicada, a empresa enviou nova planilha, desta vez rejeitada por causa das condições dos carros. O contrato com a Prefeitura é de que a idade dos carros não podem ultrapassar os seis anos, em média, mas em Itaúna eles têm bem mais tempo de rodagem.
Cíntia disse que até que venha da empresa uma planilha que convença que o reajuste é necessário e justo, não será dado nenhum aumento no valor das passagens.
Audrey disse que as planilhas que chegam com pedido de rejustes, são analisadas com muito cuidado porque atingem justamente a parcela da população de menor renda.