04/08/18

Hakuna é denunciado por propaganda extemporânea e uso ilegal de veículo oficial
A GAZETA DE ITAÚNA recebeu cópia de denúncia acusando o presidente da Câmara Municipal de Itaúna e pré-candidato a deputado estadual, Márcio Gonçalves, de veicular na internet propaganda extemporânea. A denúncia foi encaminhada ao Ministério Público e ao Cartório Eleitoral na semana passada.
Por se tratar de suspeita de crime eleitoral nas redes sociais foi encaminhada para a 29ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte que analisa crimes eleitorais de internet. A denúncia acusa o pré-candidato de ter veiculado por duas vezes propaganda fora do tempo legal estabelecido pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral: em 20 de junho, quando convida os seus seguidores para assistir a entrevista em uma rádio da cidade quando falaria sobre sua pré-candidatura, e no dia 19 de julho quando postou um vídeo ao lado do pré-candidato a presidência da República, Bolsonaro.
O autor da denúncia acusa Marcinho de ter ido a Brasília gravar o vídeo usando carro e motorista da Câmara durante recesso do Legislativo itaunense e ainda pleiteando diárias para si e para o motorista.
Ouvido pelo jornal, Marcinho desconhecia a denúncia, mas explicou que nas duas postagens ele se trata e é tratado por Bolsonaro como pré-candidato, o que não fere a lei eleitoral e, sobre as diárias, o presidente do Legislativo afirmou que nem nesta ocasião e em nenhuma outra de seu mandato recebeu quaisquer diárias por suas viagens.
O uso do veículo oficial, segundo ele, foi legal porque foi a Brasília tratar de assuntos do Município. O objetivo da viagem era um encontro com o deputado , também do PSL, partido de Hakuna, que havia feito indicação de uma patrol para Itaúna. Mas como uma patrol foi adquirida pelo Município, Marcinho estava conversando para a troca por outro equipamento. A viagem serviu ainda para um encontro com o senador Roberto Rocha que ajuda o vereador presidente em uma demanda que ele tenta para Itaúna, mas que não revelou qual para não "criar expectativas".
Sobre a gravação com Bolsonaro informou que se deu por ocasião de sua filiação ao PSL - Partido Social Liberal, mas postado apenas recentemente.