07/04/18
"Prefeitura reforça valorização à vida e prevenção ao suicídio"
Depois da repercussão da participação de Jennifer Diniz na Câmara, clamando por ajuda para aqueles com sofrimento mental, a Prefeitura de Itaúna divulgou que a Saúde Mental estrutura rede de acolhimento para melhorar o atendimento no Município.
Segundo o release, 2017, ou seja, o mandato atual, foi de planejamento e avanços na rede municipal de Saúde Mental. "Nunca e em tão pouco tempo as estratégias para acolhimento de usuários dos Centros de Atenção Psicossocial - CAPS II, CAPS AD e do Centro de Convivência, foram revistas e aperfeiçoadas. O trabalho, iniciado há pouco mais de um ano, atende as especificações técnicas da Organização Mundial da Saúde - OMS, em consonância com o protocolo do Ministério da Saúde, e está recebendo apoio de professores e doutores, além de lideranças sociais. O resultado desse entrosamento em prol de uma política pública abrangente para o setor é a criação do Grupo de Trabalho de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio.
O projeto foi lançado em fevereiro, pela Secretaria Municipal de Saúde. No primeiro mês, o encontro reuniu profissionais e técnicos da Saúde Mental para buscar respostas que já estruturam as estratégias de abordagem e tratamento em rede. ‘Esses indicadores são essenciais para a continuidade do trabalho que, já na segunda fase, envolve a participação de mais segmentos da sociedade’, explicou Cristiane Santos Nogueira, diretora da Saúde Mental de Itaúna".
Um dos maiores problemas que Jennifer apontou foi, além da falta de psicólogos nos PSFs, foi a falta de acolhimento. Este acolhimento é ser recebido nas unidades com carinho, por pessoas que saibam com o que estão lidando, sem fazer o paciente se sentir doente ou diferente. Como Jennifer disse, encontros, cartilhas não ajudam no tratamento final. Foi disso que a moça falou, de serem recebidos como pessoas que precisam de um acolhimento saudável, que além de carinho.
E o release continua. "Com o objetivo de ampliar as ações e reforçar o acolhimento, a sensibilização foi realizada envolvendo os profissionais da rede de atenção básica, entre eles agentes de saúde e enfermeiros, e equipes do Pronto Socorro e do Hospital Manoel Gonçalves. A capacitação para as equipes da Saúde Mental também está sendo realizada de maneira contínua. 'Toda essa mobilização está permitindo ao Município de Itaúna estruturar o Plano de Crise, com ações para abordagem e manejo do tema. Para isso, a Secretaria de Saúde conseguiu a supervisão técnica, sem custos para a Prefeitura, da professora e doutora da Universidade Federal de São João Del Rey, Nadja Botti', adiantou Cristiane Santos Souza Nogueira.
O plano de ações já contém o norte das abordagens e as principais metas que já estão elencadas para serem desenvolvidas ao longo desse ano. "Um cuidado que a rede de Saúde Mental tem, ao reconhecer a importância e a complexidade desse tema, é não fazer nenhum tipo de abordagem que seja emergencista ou que gere alarde. Precisamos sim, falar sobre o suicídio. Precisamos sim, valorizar a vida. Mas, existem formas adequadas de se abordar a questão. Enquanto profissionais, temos tentado ser bastante cautelosos, trabalhando o tema primeiramente no ambiente interno, com as equipes e seus profissionais, antes de divulgar qualquer dado ou qualquer ação. Isso é essencial para preservar as pessoas que estão enfrentando ou vivenciando esse problema", completou a profissional".