11/03/17
LEGISLATIVO
Diretores da Autotrans falam sobre contrato e atuação da empresa
Bea Chaves
Atendendo ao convite feito há algumas semanas pelo vereador Gleison Fernando, a diretoria da Autotrans, empresa que explora o transporte público em Itaúna, compareceu à reunião desta semana, o proprietário da empresa, Rubens Lessa, o gerente geral em Itaúna, Alessandro Henrique Rabelo e a advogada do grupo, Dra. Janine Silva de Almeida.
Rubens Lessa disse que o processo de licitação teve início durante o período eleitoral, por coincidência do término do contrato.
Falou que o novo contrato era de 20 anos e que em todas as cidades em que atuava, os contratos eram de 20 a 30 anos.
Explicou que cinco vans estavam destinadas para o Porta a Porta, sendo quatro em uso e uma de reserva. Na zona rural, a van será usada até a distância de 10 km. O Porta a Porta sempre foi uma exigência dos vereadores Anselmo e Gleisinho.
Sobre o aumento da passagem, Lessa disse que de 2011 a 2016 somente foram feitos dois reajustes e que o aumento para R$ 3,40 tinha sido inferior ao índice de aumentos dos empregados e custos.
Sobre a CPI realizada no mandato anterior ele falou que ela estava cheia de equívocos.
Encerrou afirmando que estava sempre aberto ao diálogo e que todos os ônibus eram equipados com elevador para deficientes, tinham GPS e câmeras de vídeo. Que os motoristas recebiam treinamento permanente. Qualquer reclamação de excesso de velocidade devia ser levada imediatamente ao gerente, com identificação de hora e local.