11/08/18
Asfalto
Otacília aponta irregularidades
Vereadora denuncia que Prefeitura não está repassando aos bancos os descontos em folha de empréstimos consignados feitos pelos servidores
A vereadora Otacília Barbosa informou que está apurando sobre o contrato entre a Prefeitura de Itaúna e a empresa contratada para realizar o asfaltamento de várias ruas da cidade.
A Câmara de Vereadores aprovou empréstimo de três milhões e setecentos mil reais para ser usado em asfaltamento. Não houve licitação; a Prefeitura declarou inexigibilidade, ou seja, a licitação seria dispensável. A Prefeitura aderiu a uma ata de registro público de um consórcio do Alto do Paraopeba, do qual Itaúna não faz parte, concordando com os valores apresentados na ata. Há suspeita de que os valores praticados pela empreiteira contratada estão acima dos de mercado. "Esta nova modalidade de adesão à ata diminui a burocracia, mas muitas empreiteiras fazem conluio enquanto uma licitação bem feita e correta não deixa dúvidas", disse Otacília.
Sobre a qualidade do trabalho prestado há muitas criticas, considerado de péssima qualidade, com o asfalto com muita ondulação e o desperdício. Para fazerem canaleta de escoamento de água das chuvas, depois que a rua está toda asfaltada, estão fazendo corte neste asfalto ao longo das ruas, nas suas beiradas e jogando fora estes retalhos que tiram.
Outra licitação que é motivo de pedido de informações da vereadora e está por ela sob suspeita é o da compra de veículos, caminhões, máquinas adquiridos recentemente pela Prefeitura. Segundo Otacília, há denúncias de que os preços do maquinário estão acima dos preços praticados pelo mercado.
Mais uma denúncia recebida pela vereadora foi sobre o não repasse aos bancos das prestações de empréstimos consignados feitos pelos servidores. As parcelas estão sendo descontadas na folha do servidor, mas não repassadas aos bancos. Os bancos por sua vez suspenderam novos empréstimos aos servidores até que a situação seja regularizada. A vereadora alertou o líder do prefeito na Câmara, Hudson Bernardes, que caso sejam comprovadas as denúncias trata-se de apropriação indébita.