12/08/17
Vereadores são só críticas ao trabalho do prefeito
 Na última edição da GAZETA pedimos informações à assessoria de imprensa da Prefeitura de Itaúna sobre a terceirização da coleta de lixo. As informações só chegaram após o horário do fechamento da edição, na tarde de sexta-feira.
Segundo a assessoria a intenção é melhorar a coleta e destinação do lixo. "O Município tinha um formato próprio para a coleta, porém havia falhas, problemas operacionais e administrativos. Os coletores, cerca de 30, foram contratados por processo seletivo que já havia sido prorrogado uma vez e não poderia ser renovado, o que obrigaria o SAAE a realizar um concurso público; os caminhões alugados estavam em condições precárias e com o contrato prestes a vencer, em outubro; as reclamações eram constantes quanto ao derramamento de chorume pelos compactadores. Agora, ao optar pela terceirização, o Município tem expectativas de garantir a eficiência e maior controle sobre a qualidade dos serviços", segundo o diretor-geral da autarquia, Samuel Nunes, no release.
Mas estas explicações não convenceram os vereadores que reclamaram na reunião daquela semana na Câmara e voltaram a criticar a decisão do prefeito Neider Moreira esta semana.
O que tem sido denunciado nesta terceirização é que a Coopertur, que ficou responsável pelo serviço, tem sido alvo de reclamações, inclusive jurídicas, em várias cidades onde atua.
Um vídeo foi exibido durante uma reunião de uma matéria de TV que trazia denúncias contra a cooperativa. Esta semana foi pedido que o diretor-geral do SAAE, Samuel Nunes, fosse convidado a participar da reunião plenária do dia 22 de agosto para dar esclarecimentos sobre o processo de contratação da empresa.
O valor do contrato, R$ 359 mil/mês, é outro questionamento da população e dos vereadores.
Os vereadores têm reclamado toda reunião da falta de compromisso do prefeito Neider Moreira com suas promessas de campanha. Somente os vereadores Hudson Bernardes, líder do prefeito no Legislativo, Lacimar "Três" e Joel Arruda continuam apoiando sem questionamentos as ações do Executivo.
Lentidão no setor de iluminação pública e os diversos pontos com lâmpadas a serem trocadas; a insatisfação dos funcionários do pronto socorro do Hospital Manoel Gonçalves que tiveram o fornecimento de almoço cortado, a falta de solução do processo do Concurso Público da Prefeitura de Itaúna em 2016; calçamentos e melhorias nas estradas rurais que não estão sendo feitos; a sujeira nos loteamentos da Prefeitura; falta de comprometimento nas ações do Executivo, que acabam desmotivando os servidores; qualidade no atendimento do hospital; as deficiências do laboratório da Policlínica Dr. Ovídio, que há cerca de oito meses está inoperante têm sido as principais cobranças dos vereadores.
Para piorar o descontentamento na Câmara, Neider enviou ao Legislativo projeto de lei para aprovação do pagamento de décimo-terceiro salário para o prefeito, vice, secretários e diretores de autarquias. Os vereadores, que já recebem o benefício, em sua maioria estão contra o projeto.
Em contrapartida o prefeito Neider Moreira suspendeu a alimentação que o Município fornecia aos funcionários do Plantão 24 horas, que é de responsabilidade da Prefeitura. A justificativa foi economia para os cofres públicos.