20/01/18
Presos provocam tumulto na cadeia por causa da superlotação
Qualidade da comida também é motivo de reclamações
A OAB- subseção de Itaúna está investigando as causas que levaram os detentos da cadeia pública de Itaúna ensaiarem uma rebelião na tarde de segunda-feira, dia 15 de janeiro.
Os presos queimaram roupas para chamar atenção para as condições em que vivem nas celas do presídio itaunense. Eles reclamaram da comida e da super lotação, pedindo a presença da imprensa.
Do lado de fora da cadeia pública os familiares dos presos buscavam notícias e se uniam nas reivindicações. Aos gritos de pedidos de justiça, os parentes pediam transferência de presos alegando que a superlotação das celas não permite nem andar dentro delas. Reclamavam também da qualidade da comida servida aos presos e que não é permitido levar a comida de casa para os detentos e, se isto acontece, a comida chega ao detento toda revirada.
Os agentes penitenciários controlaram o princípio de rebelião Sobre a qualidade da comida servida, a Secretaria de Assuntos Penitenciários afirmou que é a mesma servida aos agentes penitenciários.
Durante o tumulto, um dos presos foi atingido por uma bala de borracha, e levado ao hospital foi rapidamente liberado.