23/06/18
Construção de unidade do CREAS desagrada moradores 
Dr. Élvio explica que área para obra será mínima e toda praça será revitalizada ganhando mini- campo de futebol, academia ao ar livre e iluminação
Moradores do Bairro de Lourdes foram à reunião da Câmara esta semana para pedir apoio aos vereadores porque não concordam com a construção de uma unidade do CREAS - Centro de Referência Especializado de Assistência Social na praça Vereador Antônio Italiano. Uma carta, com um abaixo assinado com cerca de 200 assinaturas foi entregue ao vereador Da Lua que leu em plenário.
No texto os moradores dizem que estão indignados com a obra que teve início no sábado, dia 16 de junho, na praça que, segundo eles, é muito mal cuidada, mas é o local onde crianças brincam, pessoas fazem caminhada e onde tem até reunião de moradores que rezam o terço nas segundas-feiras. Reclamam na carta que a comunidade não foi consultada e lembram que a Prefeitura tem outros espaços disponíveis para a instalação do CREAS.
Os vereadores apoiaram os moradores. Gláucia Santiago se manifestou considerando falta de respeito iniciar a obra sem o consentimento daquela comunidade.
Otacília Barbosa disse que há questões legais que estão sendo feridas porque não se pode destinar uma praça para instalação de um equipamento público simplesmente.
A GAZETA DE ITAÚNA apurou que seria necessária antes uma desafetação do local, aprovada pela Câmara e somente depois o terreno fosse entregue para a obra.
Antônio de Miranda lembrou que os recursos para a construção foram enviados pelo deputado federal Eduardo Barbosa em 2016 e o governo à época definiu o bairro Santa Edwiges como o local da construção, "a região que mais cresce na cidade e distante da unidade do centro".
Em entrevista na quinta-feira à GAZETA DE ITAÚNA, o secretário de Assistência Social, Dr. Élvio Marques, explicou a escolha da Praça Vereador Antônio Italiano para a construção da nova unidade do CREAS.
Para o secretário, a desinformação sobre o que é um CREAS é que tem causado tanta polêmica. Ele acredita que os moradores do bairro de Lourdes podem estar pensando que o local servirá de acolhimento de mendigos, usuários de drogas e explica que não é isso.
O CREAS oferece apenas atendimento, apoio e orientação especializados a pessoas em situações de risco, vítimas de violência física, psíquica e sexual, negligência, abandono, ameaça, maus tratos e discriminações sociais. O atendimento seria acompanhar e reduzir a ocorrência de riscos e desenvolver ações para diminuir o desrespeito aos direitos humanos e sociais.
Dr. Élvio lembrou que a verba para construção, R$ 400 mil, destinada a Itaúna pelo deputado federal Eduardo Barbosa, já estava prestes a vencer e seria perdida caso não fossem iniciadas as obras imediatamente, ainda mais se tratando de ano eleitoral. Quanto ao local para a construção foram escolhidos três, que devem ser, conforme exigência do modelo que é nacional, de proximidade com o centro da cidade, seja plano e com acessibilidade para atender pessoas de mobilidade reduzida. Entre os três locais apontados para o projeto, a Caixa Econômica Federal e o Governo Federal escolheram a Praça Vereador Antônio Italiano.
Ainda segundo ele, o lugar está maltratado, é pouco usado pela população e ainda é local para esconderijo de drogas entre os tufões de grama.
Ele disse que a comunidade vai ganhar com a construção do CREAS no local. A praça, que tem 3.400 metros, será toda revitalizada, ganhará academia ao ar livre, mini-campo de futebol para as crianças, iluminação e vigia. A obra está sendo feita na parte de baixo da praça, e ocupará 200 dos 540 metros que esta parte tem de área.
Élvio Marques reconhece o erro de não ter comunicado à população e se desculpa por isto, "mas o prazo estava terminando, íamos perder os recursos que, por ser ano eleitoral não permitiria que a obra começasse no próximo mês.O CREAS só traz o bem para a população".