24/03/18
Preços de combustíveis passam a ter apenas dois dígitos em Itaúna
A Lei que proíbe o uso do 3º dígito no preço dos combustíveis vendidos na cidade, aprovada na reunião da Câmara Municipal de Itaúna no dia 13 de março, partiu de sugestão do PROCON Municipal de Itaúna, no fim do ano passado. Apesar da moeda do Brasil, o real, ter somente 2 casas decimais, em todo o país os postos de combustíveis divulgam seus preços utilizando 03 casas decimais.
Atualmente se cobra da seguinte maneira R$4,399, onde, com a aprovação da Lei, passará a não ter o último dígito, ficando em R$4,39.
Com essa prática, a cada 100 litros de combustíveis vendidos, os postos ganham R$0,90 a mais sem fazer nenhum esforço, somente utilizando cálculos matemáticos.
Se o real possui somente 2 casas decimais, não faz sentido algum existirem preços no mercado com 3 casas decimais, pois o menor valor que se pode negociar no mercado atual é R$0,01 e não R$0,001.
Inicialmente parece ser uma economia pequena, mas no geral, levando em conta o consumo direto dos combustíveis e os indiretos, como ônibus, fretes, dentre outros transportes, Itaúna economizará, por ano, mais de R$500.000,00 em combustível, somente com esse corte de uma casa decimal.
Outra função e benefício da Lei é evitar a ausência de concorrência nos preços ou até mesmo "cartel", obrigando que as empresas apliquem preços reais aos consumidores.