24/06/17
Assassinato de namorada pode ter sido para esconder participação em outro assassinato
Nem o fato de ser mãe de um filho seu de três anos e ainda estar grávida de 4 meses impediu Helen Poliana Ferreira Rosa de ser morta pelo namorado.
O crime, acontecido na madrugada de domingo, dia 18 de junho, pode ter acontecido para continuar encobrindo a participação do suspeito, que se entregou à PC, Deilon Antunes Gabriel, 20 anos, no assassinato ocorrido em fevereiro, da mãe de Helen.
A moça, de 23 anos, desconfiava da participação de Deilon no crime que foi motivado por dívida com o tráfico de drogas e já havia procurado a polícia para denunciar o namorado do assassinato da mãe, Maria de Fátima Ferreira Rosa, 40 anos.
No dia 18 os dois saíram, mas Helen estava arredia em voltar o namoro. Um desentendimento mais agressivo acabou por levar Deilon a esganar a moça. Era madrugada de domingo, por volta das 3 horas. O rapaz deixou o corpo da moça, na MG 431, próximo ao Parque de Exposições e voltou para Itaúna.
Na segunda-feira, dia 19, Deilon se entregou e disse que enforcou a namorada por causa de ciúme. Mas a versão apresentada pelo polícia é outra. Deilon teria envolvimento com o tráfico de drogas e não gostava da sogra. Quando soube que ela estava devendo ao tráfico e que outros traficantes planejavam matá-la, resolveu ajudar no crime. Sua participação seria dar informações sobre os passos da sogra aos traficantes que foi morta em casa, com dois tiros.
Deilon vai responder inquérito de crime de homicídio com quatro agravantes: motivo fútil, morte por asfixia, feminicídio e ocultação de cadáver.