25/08/18
Diretor do SAAE vai à Câmara defender projeto de gratificação
Samuel Nunes, diretor geral do SAAE (foto), esteve na Câmara no dia 21 de agosto, para falar sobre o projeto das gratificações por produção de 20% para todos os servidores da autarquia. O que ocorre é que hoje 28 servidores têm uma gratificação de 40% e a direção do SAAE pretendia tirar este direito destes servidores reduzindo a gratificação a 20% como os demais servidores. Uma liminar da Justiça já assegurou este direito, não permitindo esta redução. A galeria da Câmara estava cheia de servidores atentos às explicações de Samuel.
Samuel disse que alguns servidores recebem hoje gratificação de 40%, por produtividade, mas que é preciso buscar isonomia, a igualdade entre todos. "Então como colocar metas de produtividade, por exemplo, para um chefe de equipe se os seus comandados não recebem também a gratificação?"
Segundo ele, foi por isto que desenvolveu um projeto que atende a todos, reequilibrando a harmonia. "O projeto vai satisfazer 90% dos servidores do SAAE sem deixar de atender os outros 10%, estabelecendo um percentual de gratificação de 20%, igual para todos, para buscar eficiência ao atendimento da sociedade". Ainda segundo ele, o projeto vai motivar os servidores da autarquia que não estão motivados a cumprir prazos estipulados com excelência. Os cargos comissionados e postulados não estariam incluídos nos ganhos de produtividade porque os cargos comissionados e apostilados já se enquadram no limite de vencimentos dos cargos de chefia e gerência. "Os comissionados, que são de confiança do governo, devem estar automotivados para exercer sua função. O apostilado, uma vez que ele buscou a equiparação de salário de chefia de um cargo de confiança entende-se que ele já está em um salário de automotivação".
Os vereadores fizeram perguntas e a vereadora Otacília cobrou de Samuel o cumprimento da liminar para que os vencimentos dos 28 servidores não sofram nenhuma modificação quanto à porcentagem da gratificação e ainda lembrou que o SAAE deixa de cumprir outra recomendação do Ministério Público que é de desvincular a cobrança da Taxa de Lixo das contas de água.
O projeto segue na Câmara, nas comissões, para em seguida ir a Plenário para votação.