27/01/18
Prefeitura e Câmara reajustam salários
Comissionados, secretários, prefeito e vice não terão reajuste
Em reunião extraordinária nesta quinta-feira, dia 25 de janeiro, foi votado o reajuste dos salários dos servidores da Prefeitura de Itaúna e Câmara Municipal de Itaúna e dos vereadores.
Os servidores da Prefeitura terão reajuste de 3% em seus salários, os funcionários efetivos e inativos, o que inclui o Instituto Municipal de Previdência – IMP, e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto – SAAE. Conforme o acordo com o Sindserv - Sindicato dos Servidores Municipais, não será reajustado os salários dos ocupantes de cargos comissionados, de livre nomeação; do prefeito Neider Moreira e do vice, Fernando Franco; nem dos secretários e diretores de autarquias; além dos estagiários. Para justificar o não reajuste destes salários, o Executivo disse que "tem-se que a remuneração já corresponde à realidade do mercado e, não se pode perder de vista a crise financeira enfrentada pelo País que vem causando diversas dificuldades aos Municípios de se manterem em dia com suas obrigações".
O reajuste corresponde ao salário de janeiro, a ser pago em fevereiro.
Os salários dos vereadores foram reajustados em 2,0669% e passarão de R$ 7.292,61 para R$ 7.443,34. O salário do presidente da Câmara, Márcio Gonçalves, passa de R$ 8.751,12 para R$ 8.931,99.
Para os demais funcionários da Câmara, servidores ativos, proventos de aposentadorias e bolsas-auxílio dos estagiários o reajuste foi de 5% . Marcinho Hakuna justificou o reajuste concedido dizendo que ainda que "quisesse conceder um reajuste condizente com a capacidade e dedicação dos servidores da Câmara, a proposta concede, como ocorre tradicionalmente no âmbito do Legislativo Itaunense, um ganho real, ou seja, acima da inflação do período, da ordem de 2%, o que pode parecer pouco, mas diante das circunstâncias, é o possível no momento".
Todos os três projetos foram aprovados por unanimidade, porém alguns vereadores acharam o índice concedido aos servidores da Prefeitura muito baixo. Antônio de Miranda, acompanhado pelos vereadores Lucinho de Santanense e Alex Artur comentaram que os servidores da Prefeitura vão reclamar porque o índice dos servidores da Câmara foi maior, e que os edis não fizeram nada para conseguir uma reajuste melhor. Mas, Toinzinho explica que não têm como nem fazer uma emenda naquele projeto: " não há o que fazer".
Marcinho voltou a falar que, apesar do projeto de aumento dos salários dos funcionários da Câmara ser de autoria da Mesa Diretora, o índice foi discutido com vários vereadores antes de ser colocado. "Achamos 5% razoável; se pudéssemos daríamos mais".
A próxima reunião será dia 6 de fevereiro.