28/04/18
Vereador acusa prefeito de cobrança ilegal nos salários de comissionados
O vereador Alexandre Campos fez uma grave denúncia contra o prefeito Neider Moreira e disse que levaria a denúncia à Policia Civil. Falando como presidente de partido, o MDB - Movimento Democrático Brasileiro, contou que teve informação de fonte segura de que Neider reuniu os secretários de todas as pastas e orientou que cada um deles chamasse os cargos comissionados de 2º e 3º escalões e pedisse a contribuição para o partido, de 3% do salário. Alguns, que são liberados pela justiça eleitoral e pelas resoluções do Tribunal Regional e Tribunal Superior Eleitoral, serão descontados em folha de pagamento. Os demais foram recolhidos na última sexta-feira, em envelopes. Os secretários conversaram com detentores dos cargos, pediram para que colocassem o dinheiro em envelopes e entregassem aos secretários no dia 20. Somente o secretário de Urbanismo, Paulo de Tarso, não pediu nada aos comissionados de sua pasta.
O vereador disse que iria à Polícia Civil denunciar porque considera apropriação indébita, e disse ainda que, se houver descontos na folha de pagamento de alguma pessoa do partido iria denunciar em todos os órgãos, porque seria roubar o MDB. "Se o dinheiro é do MDB e tem que ser contribuição partidária, tem que ir para o MDB. É estatuário. Não posso aceitar o roubo senão estarei sendo conivente". Disse que já foi discutido internamente no partido e que ficou decidido que não haveria desconto dos filiados. Ninguém da Prefeitura teria procurado o partido para falar sobre o assunto. Alexandre disse que tem medo que o desconto seja feito na folha de pagamento dos medebistas e que o partido nem tem conta bancária.
Contou que fez cálculos do que se gasta mais ou menos com folha de pagamento de cargos comissionados e agentes políticos; cerca de 800 mil reais por mês. Em dois anos, segundo as palavras do vereador, o prefeito juntaria cerca de 700 mil reais. "Então a reeleição dele está garantida. Ele já está com a máquina na mão, mais 700 mil reais, sem financiamento de campanha empresarial, ele já sai na frente com sua reeleição garantida. Isto é um caso sério, por isto estou indo na Polícia Civil, porque é um caso de polícia e irei como presidente do MDB, não como vereador".
O vereador líder do governo, Hudson Bernardes pediu ipsis litteris da fala de Alexandre.
Em conversa com a GAZETA, Alexandre disse que fará um pedido de informações sobre a folha de pagamento e se constatar o desconto dos filiados de seu partido, pretende pedir a instalação de uma CPI - Comissão Parlamentar de Inquérito. Quanto aos envelopes contendo as contribuições, ele não sabe a quem foram entregues, disse que pedirá que a PC investigue.