29/04/17
Supermercado Rena acusa Pranchana Jack de apologia ao furto
Rena representa contra o vereador Iago por falta de decoro parlamentar
Na Tribuna Livre compareceu o gerente administrativo do Supermercado Rena, Marcos Henrique de Oliveira, para informar que a empresa entrou com representação na Câmara de Itaúna, na Comissão de Ética, contra o vereador conhecido como Pranchana Jack .
Marcos lembrou aos vereadores a importância do Supermercado Rena em Itaúna. A empresa completou no ano passado meio século de existência e conta com 6 lojas de supermercados, um centro de distribuição e uma indústria de panificação. Gera 650 empregos diretos e 300 indiretos na cidade.
Marcos contou que, no final de março, o vereador Iago de Souza Santiago, fantasiado como "Pranchana Jack", personagem que usou na campanha eleitoral do ano passado quando se elegeu vereador, entrou no Supermercado Rena da Av. Manoel da Custódia, sem autorização da empresa, onde gravou um vídeo e a paródia musical intitulada "Eu não pago mais para comer".
Durante a gravação o vereador simula que está furtando as mercadorias da loja, colocando alguns produtos dentro de suas roupas e fugindo, cantando "Vou no mercado sem grana e volto com bombom", e neste momento escondia o produto na roupa.
A direção do Supermercado entendeu que o vereador estaria praticando apologia ao crime de furto, nos termos do artigo 287 do Código Penal Brasileiro. "Este tipo de conduta é incompatível com o que se espera de um vereador representante do povo. O que deixa claro a falta do decoro parlamentar, nos termos do regimento interno desta Casa".
Continuando, Marcos disse que ao longo do vídeo, o vereador também denigre a imagem e a reputação da empresa Casa Rena, pois insinua que os produtos que ali são comercializados são de má qualidade. Destaca-se que a logomarca do Rena aparece nas imagens do vídeo.
O vídeo estava postado até aquele dia nas redes sociais particulares do vereador e no "YouTube", e teve mais de 500.000 acessos, apesar da empresa ter pedido ao vereador por diversas vezes que retirasse o vídeo das mídias sociais, no que não foi atendida.
A representação foi protocolada no dia 20 de abril junto ao Conselho de Ética da Câmara.
O vereador Iago tentou se explicar. Segundo ele, tudo não passou de um mal entendido e não houve intuito de denegrir a imagem do supermercado. "Não houve a utilização da minha função de vereador durante a execução do vídeo".
Iago alegou que o vídeo fora retirado naquele dia e não foi feito antes por questões técnicas, quando são precisos 20 dias para a retirada de um vídeo. Iago disse que o vídeo não tinha intenção de fazer apologia ao furto, que era apenas um vídeo de humor, um protesto por causa das recentes polêmicas dos frigoríficos no Brasil. Insistiu na afirmação que não tinha intenção de denegrir a imagem do Supermercado Rena. Repetiu que a demora de retirar o vídeo do ar foi por causa da empresa que gerencia seu canal no You Tube que e tem prazo para exclusão de postagens. Terminou pedindo ipsis litteris da sua fala e a do gerente do Rena.
Iago em momento algum se referiu ao fato de ter feito a gravação sem permissão dos diretores da empresa.