2004- 2005- 2006- 2007- 2008 - 2009 - 2010 - 2011 - 2012 - 2013 - 2014 - 2016 - 2017

26/12/16
É, vamos terminando o ano com um clima festivo meio amarelado, em tons pastéis. É que sem dinheiro para as comemorações, presentes como desejaria fazer o povo, ainda teme o futuro, o ano de 2017. Há quem diga que, mesmo que no final, a partir do segundo semestre, o cenário vai melhorar, mas há quem diga que na hora de felicitar o novo ano, melhor desejar feliz 2018.
O Governo Federal aumentou ainda mais sua impopularidade ao acenar que pode sancionar o projeto que perdoa dívidas de multas e ainda presenteia com imóveis, veículos, equipamentos e toda infraestrutura as empresas de telecomunicações. Além do montante final de cerca de 100 bilhões de reais, o projeto desobriga estas empresas, principalmente as de telefonia fixa de, por exemplo, instalar e conservar orelhões. Hoje o usuário da telefonia reclama mil vezes por causa da má qualidade do serviço prestado e como dificilmente é atendido a contento transfere a reclamação para a Anatel que multa as empresas. Com este perdão e mais os presentes o Governo acaba acenando que o serviço está perfeito. Ora, 100 bilhões? Para empresas riquíssimas? Por que não perdoa ou absorve dívidas de hospitais públicos, de universidades? Por que não injeta isto na Providencia. Como arrumar estes recursos? Cobrando das empresas de telecomunicações a dívida. Simples e a venda ainda para elas da infraestrutura. Pega-se o dinheiro e aplica na saúde.
Mas ainda há esperança de que este projeto não passe no final. A responsabilidade agora está na mão da ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia, que vai julgar uma liminar que suspende a tramitação do projeto.
A mudança na Previdência também causou muita polêmica. Vamos morrer trabalhando por míseros tostões? Mas há também uma verdade, se não mudar, em breve os aposentados não receberão suas aposentadorias. Mas muita coisa ainda vai ser modificada. Um projeto como este, que deu a repercussão que deu, ainda será bastante negociado, barganhado. Como ficará no final das discussões só Deus sabe.
Aí vem a reforma trabalhista. Neste parece que o trabalhador não deve perder benefícios já conquistados, e até ajuda mais quando flexibiliza acordos e os torna legais. Esta parece que será melhor absorvida pelo brasileiro.
Mas o que deve ter mexido um pouco o ponteiro positivamente na popularidade do Governo Michel Temer é sem dúvida a questão dos juros, principalmente os do cartão de crédito que deve baixar pela metade. Ou seja, de 500% ao ano os juros passarão a 250% ao ano. Parece ser coisa boa, mas atrás ainda estão outras modificações no parcelamento da dívida dos inadimplentes, o refinanciamento de fatura e banco a a gente sabe como é, nunca perde.
 
Terminando com incertezas na economia do país e iniciando o ano já com a possibilidade de cassação de mandato de dois vereadores itaunenses, Da Lua e Gleisinho, por infidelidade partidária. Durante a campanha eleitoral estiveram na coligação que pretendia a reeleição do prefeito Osmando. Já na campanha havia murmúrios que Da lua não estaria se empenhando muito na reeleição do prefeito. Neider foi eleito e inicia-se conversações sobre apoio ao novo prefeito e à presidência da Câmara. Os dois grupos disputam a Mesa Diretora. De um lado Toinzinho, do outro Hakuna. Os dois vereadores acusados de mudar de lado, antes mesmo do início de mandato podem perder seus cargos mas vamos aguardar para ver se este apoio se confirma.
 
 
17/12/16
A Polícia Militar divulga quase que diariamente, através de e-mails para as redações dos jornais, releases sobre as apreensões e prisões que faz em ocorrências de drogas, assaltos e furtos. Mas além destes, são muitas os furtos a residências que têm acontecido na cidade.
Um bem comum nos últimos meses tem trazido pavor para as famílias. Normalmente não há agressão física ou ameaças, mas apavora saber que alguém entrou em sua casa, na madrugada, explorou toda ela e até mesmo entrou em seu quarto e no de seus filhos enquanto dormiam, silenciosamente. Levam o que querem sem o menor barulho.
Nos últimos dias o jornal GAZETA foi informado de três casos assim na região do bairro das Graças/Universitário.
Mas, em todos eles, os proprietários de alguma forma, facilitaram a ação do ladrão quando deixaram portas e janelas destrancadas. Não houve agressão física, mas nenhuma das vítimas acordou durante o furto e, talvez se isto acontecesse e houvesse reação de defesa provocaria a agressão por parte do bandido.
A Polícia Militar não deixa de avisar à população sempre. O cuidado com o imóvel tem que primeiro ser feito pelo proprietário. Verificar sempre portas e janelas que, infelizmente, devem estar sempre fechadas até de dia. Então a melhor maneira de se prevenir contra estes "pés de pano" é conferir portas e janelas antes de cair nos braços de Morfeu. E cachorro de noite é solto, viu?
É, tem semana que falo aqui da desesperança do brasileiro com os governos, os políticos. Mas, tem semana que mudo completamente, sou tomada de esperanças. De novo. Acho que a acredito ainda no Papai Noel, sabem?
Sou a favor, sim, do limite dos gastos públicos. É preciso parar de gastar a rodo como se tem sido feito todos estes séculos neste país. E não acredito que o dinheiro possa se tornar insuficiente para a saúde e educação, ou segurança como se fala. Acho que sempre foi o suficiente, que se fosse administrado de forma honesta e também com competência, por pessoas que ocupam seus cargos por domínio da matéria e não por favor político, o dinheiro daria e sobraria para manter todas as áreas bem atendidas. O pior é a gente ter que separar o do ladrão.
Então o Michel Temer fez aprovar a contenção de gastos, anunciou novas medidas e vamos aguardar, vamos torcer para dar certo, porque no fundo a gente sabe que temos muito mesmo o que fazer, porque nossas manifestações pouco tem valido na verdade, são distorcidas. Vamos torcer, vamos colaborar também e trabalhar para ajudar para que tudo dê certo.
Então até semana que vem quando espero que este otimismo de minha parte ainda exista! 
 
 
10/12/16
Vai chegando o fim de ano e gente se renova, tem novas esperanças, expectativas de um ano diferente, sempre mais próspero do que o anterior, pensa nas festividades, nos encontros comemorativos com os familiares, os amigos. Novas promessas de dietas, de voltar aos estudos, entrar numa academia, aprender a viver melhor.
Todos os anos é este recomeço, novas expectativas. Mas sinto que este ano não estamos tão receptivos às festividades, às comemorações e, principalmente, não alimentamos mais tantas esperanças. O motivo não é a falta de dinheiro, este a gente até aprendeu a lidar. O que impera é a frustração da enorme esperança de dias melhores que a maioria dos brasileiros tinha há poucos meses, esperança de mais oportunidades para todos e do que sempre peço aqui, mais decência na política.
Este país virou um esculacho total, Ex-governador e ex-primeira dama presos, presa ainda muita gente que ocupou os mais altos e mais respeitados cargos neste país. Até um ex-presidente pode ser preso. Que país o Brasil se tornou? Cadê o Brasil do futuro que me fizeram acreditar que existiria quando era criança? O Brasil era um país jovem, cheio de esperanças mas o jovem envelheceu e todos aqueles jovens, milhões deles que trabalharam dia após dia, dezenas de horas por semana estão envelhecendo sem esperança de colher os frutos de seu trabalho quando não mais puderam a ele se dedicar.
Como a gente pode trabalhar meio século para se aposentar? Como assim? E não entendi bem porque aconteceu assim. Se há alguns anos, digamos que nos últimos 40 anos, o Brasil era jovem em sua maioria, então mais pessoas contribuíram para a Previdência. Então cadê todo este dinheiro? Não entendi nada, mas fiquei frustrada.
E esta frustração, a minha, a sua, a do vizinho, do colega de trabalho é que reina neste fim de ano.
Aprendemos também que ordem da Justiça acata-se. Depois discute. Mas por que o presidente do Senado, Renan Calheiros pode fazer diferente? E por que não foi punido por isto, muito antes pelo contrário, só faltou lhe darem aumento de salário. O Supremo, antes de julgar se ele deveria ou não perder o cargo de presidente, deveria mandar prendê-lo por desobediência porque é assim que deve ser. Se a gente, aqui os meros mortais (mas que sustentam as mordomias dos semideuses) desobedece uma ordem judicial, enfrentamos os rigores da lei, não é?
Então é por tudo isto que o fim de ano não tem mais aquele brilho, a emoção. Quanta esperança depositamos e vão-se os meses e nada acontece. Baixaram o preso da gasolina e ninguém viu! Por duas vezes e ninguém viu! Aumentaram o preço da gasolina e do óleo diesel e todo mundo viu! Imediatamente. E vamos ver este aumento no supermercado já já.
A gente é tão inocente! Vibra com uma redução mínima de preços, vibra com uma prisão de um corrupto, enche o peito de esperança por uma migalha qualquer e de repente cai uma pedreira na nossa cabeça. Não, não. Isto não está certo. Não adianta a gente ir para as ruas, não adianta a gente assinar propostas para serem votadas. A gente é insignificante para eles. Vejam o Governo do Estado! Decreta calamidade para não pagar seus compromissos porque gastou mais que devia! E os milhares de servidores vão receber seu salário em prestações. Devia então baixar decreto que servidor estadual tem o direito de pagar água, luz, telefone, colégio, supermercado, etc, em prestações. Muito justo!
A coisa anda tão feia que em Ribeirão Preto ninguém quer ser prefeito porque a prefeita roubou 200 milhões de reais e está presa. O vice não quer assumir com medo de ser envolvido nas falcatruas. Na ordem de sucessão viria o presidente da Câmara, mas está afastado por ter recebido propina e quem está na presidência também não quer. Sobrou para o secretário de Governo, mas fará um governo de fachada, não poderá tomar decisões.
Que belo Natal teremos, que esperança teremos em 2017 de dias melhores!
 
03/12/16
Que semana triste, muito triste, todos nós vivemos. Costumamos ouvir nos telejornais notícias de atrocidades de todos os tipos contra a mulher, contra crianças, idosos, mas quando acontece no nosso quintal a tristeza e a desesperança invade a alma da gente. Hoje de manhã, o Gilberto, assessor de imprensa da Câmara Municipal de Itaúna me disse que o "pior é a gente se acostumar a isso". Ele tem razão, é tanta notícia ruim neste sentido, tantas estatísticas, que a gente acaba pensando que foi o fato da vez, daqui a pouco outro fato nos fará indignar e esquecer o anterior, mas não deve ser assim. Ninguém deve morrer pelas mãos de seu semelhante. Seja o motivo que for, ciúmes, vingança, dinheiro, ah! o dinheiro!
Além da tristeza do dia a dia, da falta de recursos para vivermos dignamente neste país, ainda temos que lidar com a mesquinhez de quem pode mais, de quem não mede consequências por causa do vil metal, temos que viver à mercê de quem controla o dinheiro, de quem dele toma posse, que o usa somente para si.
A semana começou triste por causa do acidente aéreo que vitimou dezenas de pessoas, comoveu o mundo! Acredito que poucos neste mundo de meu Deus não sentiram as mortes daquelas pessoas que nem conhecíamos, mas que nos fizeram chorar como se fôssemos amigos de infância. E por que aconteceu o acidente? Por causa do dinheiro, da ganância de uma empresa, e junto da inconsequência, a incompetência. Um piloto arrisca a vida de tantos para economizar dinheiro. Deixa de confessar à torre que está sem gasolina para não ter que pagar multa pela infração cometida. Arrisca. E agora? Economizou vinténs e deixou milhares de órfãos neste país. Valeu a pena? Ele também não deixou filhos, amigos? E ainda morreu envergonhando a família, por causa da irresponsabilidade que cometeu. Da arrogância de achar que podia burlar os procedimentos e sair impune. Nem vivo saiu e pior, levou muita gente junto.
Enquanto a gente chorava ainda na madrugada pela morte trágica de tantos, o dinheiro comandava uma sessão de deputados. Reunidos para votar medidas apoiadas pela população brasileira, pedidas, imploradas por todo o país. O apelo de um povo por um país decente, governantes decentes. Mas, deram o ouro ao bandido e ele se enfeitou com ele. Como corruptos podem votar contra a corrupção? Será que o brasileiro foi inocente e pensou que "desta vez vai"?
Então, veio a tristeza da decepção. E a vergonha. Aqueles lá não podem mais nos representar. Eleitos pelo povo? Sim! Mas foram eleitos para trabalhar pelo povo e não em causa própria! Era esperado que votassem para que os corruptos tivessem medo da lei e um dia, quem sabe, parassem de roubar tanto!
Mas o que fizeram foi melhorar a impunidade que hoje já lhes beneficia de todas as formas.
Então ainda estávamos discutindo a surpresa da madrugada, quando um louco assassina uma mulher na nossa cidade. Dias tristes. Tomara que a gente não se acostume a isso.
 
 
26/11/16
Esta semana a GAZETA recebeu mais um apelo de instituição que cuida de idosos. Sabemos que vários são os motivos de idosos não terminarem seus dias no seio da família que criaram, mas nem vamos entrar neste mérito até porque muitos idosos são de verdade sozinhos e nem sempre foram deixados de lado pelos seus.
Em Itaúna tanto o CRASI quanto a Fundação Frederico Ozanan trabalham noite e dia, com muita dedicação de seus diretores e equipe, para que aqueles que não mais vivem entre seus familiares possam viver sua velhice com dignidade.
Estas instituições estão sempre fazendo eventos, buscando recursos junto à sociedade para que nada falte aos idosos e muitas vezes pedem a colaboração da imprensa neste seu trabalho. Pois bem, estaremos todos sempre dispostos a ajudar. Os pedidos são variados e desta vez o CRASI precisa que a sociedade itaunense colabore para o pagamento das despesas de fim de ano com os seus colaboradores, então de recursos financeiros. Segundo a direção da instituição 50 idosos são cuidados no local e para que tudo funcione a contento são 40 funcionários.
O ano de 2016 foi muito ruim financeiramente para todos, sem exceção. Muitas portas foram fechadas, muitas pessoas perderam seus empregos. Isto fez diminuir ainda mais as doações às entidades. Mas, no caso das instituições que cuidam dos idosos não dá para fechar as portas. Se acontecer para onde vão ser levados aqueles que têm ali seu único refúgio? Nem dá para diminuir a mão de obra sem que os idosos saiam prejudicados.
Então temos que ajudar como pudermos. Financeiramente, principalmente neste mês. Mas não quer dizer que todo outro tipo de doação não seja bem-vindo. Todos aqueles que têm a sorte e a bênção de continuar empregado pode tirar um pouco de seu 13º salário e ajudar as entidades. Elas precisam cumprir seus compromissos e tentar entrar o próximo ano sem dívidas. Para quem já doa, que tal o 13º da doação também? E para quem ainda não doou, que tal começar? A quantia que o coração mandar, que o bolso permitir. "E o natal é uma data para nos inspirarmos no exemplo de Cristo que desde o seu nascimento viveu tantas provações e sempre se sacrificou por nós".
 
Será que Marcos Valério vai acabar na APAC itaunense?
A classe política não dorme mais sossegada neste país. Então, à medida que a madrugada avança a ansiedade aumenta. "Será hoje?" "Fui citado?" E rolam na cama temerosos de mais um dia. Se a campainha tocar então! Desespero!
Em Minas aumenta a tensão de políticos nas últimas horas. Marcos Valério, dono da agência DNA que intermediava anúncios do governo de Minas para os jornais, que operou o mensalão do PT e ainda se envolveu em caixa 2 com o ex-governador de Minas, Eduardo Azeredo, também já condenado, se prepara para novas delações e serão muitas, segundo a imprensa nacional, umas 50 pessoas, dos três poderes. Não haverá clima de festividades natalinas para muitas famílias de políticos este ano. O advogado Jean Kobayashi disse que seu cliente vai delatar nomes que até o momento nunca foram citados.
Marcos Valério cumpre pena hoje, de 37 anos de prisão na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. E espera que, com esta nova delação conseguir diminuição da pena e uma transferência para a Apac.
Como sabemos que a APAC de Itaúna é exemplo, modelo para o mundo, só falta ele pedir para vir para cá, porque conforme sua delação pode até ter moral para tanto.
 
19/11/16
Mais uma semana de vergonha para os brasileiros. Em Brasília, durante sessão para votar contra os salários escandalosos que milhares de funcionários públicos, de todos os poderes, recebem acima do teto permitido, o Plenário foi invadido e sem a menor cerimônia a Mesa Diretora da Câmara foi tomada por manifestantes pedindo, acreditem, uma intervenção militar. A ditadura no país durou de 64 até 85 e foi realmente tempos terríveis.
Estas manifestações como a feita na Câmara jamais aconteceriam durante a ditadura. Imaginem se naqueles anos a invasão de um prédio público não terminaria em celas de tortura? E eles querem a volta de tudo isto?
Mas voltando aos salários milionários muitos funcionários públicos enriquecem com tanta mordomia financeira, direitos. Sim, são direitos, mas são justos? O Delmo Barbosa falou mais de uma vez comigo uma frase: é legal, mas é imoral e vou pedir sua permissão para falar assim também. Estes salários, cheios de penduricalhos como são chamados os mais diversos benefícios financeiros, recebidos mensalmente são legais, mas imorais.
Como uma pessoa que recebe 30 mil reais por mês ainda precisa de ter a escola do filho paga, o aluguel da casa onde mora, e mil outras despesas pagas pelo dinheiro público? E muitos, ainda não contentes com todos estas despesas pagas, quando seu salário sai quase ileso de qualquer despesa, ainda roubam, desviam, recebem propina.
E os novos escândalos com a prisão de dois ex-governadores do Rio de Janeiro? Aquele Estado quebrado onde o governador, Pezão, acha que dá para tirar do buraco se desfazendo de programas sociais como o Aluguel Social, ou seja, colocando milhares de famílias nas ruas. Se o cidadão mais pobre conseguia ter pelo menos uma refeição digna por dia, em um restaurante popular, vai passar aperto também porque estes restaurantes, os que sobreviverem, passarão a ser de responsabilidades das já penalizadas Prefeituras. A passagem chamada bilhete único vai aumentar um real, entre outras tantas medidas. Todas sacrificando ainda mais o povo carioca, que ainda é obrigado a ver a mulher de Sérgio Cabral ser surpreendida em um jantar em Paris, com um anel de 800 mil reais de presente! Tem que ouvir que a esposa do Eduardo Cunha torrou um milhão de reais em bolsas, sapatos e outros presentinhos para si e as "crianças"! Tudo dinheiro do povo!
O Garotinho cometeu crime eleitoral comprando votos, usando um programa social, para eleger seu candidato à Prefeitura de Campos, mas perdeu.
E agora está preso. Passou mal na prisão, ficou pouco tempo lá e foi transferido para um hospital. A família quis mandá-lo para um hospital particular, mas teve o pedido negado e mal mal ele se aprumou foi levado de volta à sua cela. A filha do ex-governador, deputada, fez um escândalo porque a cadeia não tem condições de atendê-lo caso passe mal antes de segunda-feira, quando volta ao hospital para exames. Ora, porque o escândalo? Será que ela não sabe que os brasileiros passam por isto todos os dias? Se tratam em hospitais públicos, isto quando conseguem uma vaga. Morrem esperando um leito em um CTI. E exames? KKKKK! O povo nem sabe o que é isto! E ela, mais uma da família que vive na mordomia usando de forma criminosa os recursos do Estado, entende agora o que o povo passa? Aposto que não. Deve achar que ela e os seus são superiores, estão acima de todos nós, não merecem filas de hospitais, hospitais com goteiras, sem médicos, sem leitos, sem medicamentos. Não vai aprender porque não consegue enxergar que é igual ao povo.
Anéis, cheques, bolsas, estádios, propinas, contas no exterior, carros de luxo, sítios, apartamentos... se tudo isto fosse devolvido e transformado em dinheiro e usado onde é seu lugar, tudo estaria resolvido, o Brasil voltaria a crescer, o povo viveria com dignidade. Mas, sem esperança porque quando alguém devolve alguma coisa, como já o fizeram bicheiros e construtores, não é nem meio por cento do que tiraram. O Brasil precisa ser passado mesmo a limpo, mas não é uma ditadura que fará isto. O caminho pode passar mesmo pelas mãos do juiz Sérgio Moro, mas para que ele consiga moralizar, muita gente, mas muita gente mesmo tem que sair da frente.
 
 
12/11/16
A crise econômica que o Brasil vive aumenta o número de miseráveis pelo país e em Itaúna não poderia ser diferente. Na porta de lojas, supermercados é comum ver pedintes, como vimos mais uma vez na porta do Supermercado ABC na noite de quinta-feira.
Coincidentemente havíamos conversado com o o coordenador do Creas, Jaílson Guimarães, por um bom tempo naquela tarde e pode ser constatado que o coordenador tinha razão em tudo que disse. O assunto abordado era a permanência de hippies na praça da Matriz e a cobrança da população para que fossem retirados por causa da maneira suja que vivem fazendo da praça um banheiro a céu aberto, o uso da fonte luminosa para banhos e lavagem de roupas, a maneira como vivem as crianças do grupo. Outra reclamação é a forma agressiva que os itaunenses são abordados, muitas vezes até com palavras de baixo calão.
Jaílson contou como o Creas não tem muito o que fazer porque a lei protege estas pessoas, que na visão da lei não são moradores de rua. Eles, bem ou mal, ganham seu sustento e por isso são considerados comerciantes. Mas o que incomoda é a abordagem agressiva e o fato de sujarem a praça da Matriz da forma que sujam.
Jaílson contou que para os que realmente estão em situação de rua é oferecido abrigo por algum tempo, mas muitos se negam a aceitar esta ajuda por um motivo simples: têm medo do trabalho ou porque acabam ganhando dinheiro suficiente para sua sobrevivência apenas pedindo esmolas nas ruas.
Na ida ao supermercado na noite de quinta-feira resolvemos seguir o conselho de Jaílson e falar ao pedinte para buscar ajuda no albergue. Na verdade nem foi muita surpresa a resposta que recebemos: "albergue? Aquele povo lá acha que a gente é escravo, fui lá e me fizeram plantar sete hortas!" Mentem descaradamente para justificar a acomodação. Então ficou comprovada a dificuldade que os órgãos sociais têm para ajudar os moradores de rua.
Então quem pode ajudar estas pessoas? A população. Mas, diferente do que esta população pensa, não é dando dinheiro, dando comida. É exatamente ao contrário. É fazendo com que aceitem ajuda fora das ruas. Sustentar moradores de rua só piora a situação para eles mesmo porque vão continuar na situação de miséria. Vão tomar chuva, dormir ao relento e no frio, viver de forma sub-humana, sem as mínimas condições de higiene e pior, com crianças crescendo da mesma forma, sem perspectivas de melhora de vida.
Então, quem deve ajudar é o Poder Público, mas a população deve parar de interferir dando dinheiro; fazendo com que aceitem a ajuda. Sabemos que não é a melhor coisa do mundo viver em um abrigo público, mas pelo menos lá tem comida decente, banho quente e um teto.
Soubemos que nestes dias uma reunião entre representantes dos Supermercados Rena e lojas adjacentes foi feita junto com o Ministério Público para amenizar a situação de constrangimento que os clientes passam nos estacionamentos. Queremos que entendam, leitores, que não é o fato do cliente ser abordado que causa o constrangimento. É a forma, repetimos, do tipo de abordagem. Se você não ajuda, corre o risco de ouvir um palavrão, uma praga ou até mesmo ter o carro depredado.

05/11/16

A Operação Lava jato, da Polícia Federal, que investiga os crimes de corrupção no Brasil envolvendo a Petrobras, caixa dois, dinheiro em paraísos fiscais, propinas, etc, etc, etc, todo dia prende um. Prende. Deixa lá algumas semanas, depois troca delação premiada por prisão domiciliar ou prestação de serviços.
Todo mundo queria estar preso nas mansões que estes condenados ficam. Parecem clubes, com todo o luxo possível. Com tanta mordomia dentro da própria casa, o preso vai querer sair para quê? Pode receber amigos, dar jantares, festas. Pode até fazer compras porque só pobre frequenta lojas. Ricos são frequentados por lojas. Tudo ali, na mão, em desfile para que o "condenado" possa escolher a roupa que vai usar no próximo grande evento nos jardins de sua casa, o sapato para o jogo de tênis com os amigos, a decoração da festa da piscina; tudo ali na porta.
Esta semana o jornalista Ricardo Boechat, da Band News FM, em seu editorial matinal lembrou a verdade por detrás destes crimes contra a população brasileira e contra este país. Será que estas pessoas, bandidas confessas dos mais diversos crimes envolvendo altas cifras, desviadas de nossa mesa, nossos hospitais, escolas, merecem qualquer tipo de regalia? Não seria mais justo estarem presos ao lado de bandidos comuns? Qual é a diferença entre eles e o homem que cumpre pena por latrocínio? Por que este assassino tem que ficar em celas estupidamente cheias, mal cheirosas, sem nenhuma estrutura que possa fazer dele uma pessoa merecedora de voltar ao convívio em sociedade?
O Boechat tem toda razão. Os políticos corruptos, investigados e condenados pela Lava jato são assassinos porque tiraram para si os recursos que salvariam a vida de milhares de brasileiros nas filas dos hospitais. São assassinos porque tomaram para si os recursos para a melhoria de rodovias, dando a elas mais segurança para evitar tantas mortes.
Eles são assassinos porque condenaram à marginalidades milhões de jovens quando tomaram para si os recursos para investimentos na educação, escolas e um ensino atraente. Cada carro importado, cada souvenir de uma viagem, cada vestido, cada pérola de um colar, cada diamante de um anel, cada peça comprada com o dinheiro da corrupção tem uma mancha de sangue do povo brasileiro que morre nas filas da saúde pública, nas rodovias, nas ruas assassinados, de fome nas esquinas, de frio debaixo das pontes. Mas não enxergam isto porque os olhos estão embaçados com o brilho do ouro que lhes dá prazer acima de qualquer coisa. E a Justiça, convenhamos, a gente sabe que é cega.
É impossível que continue a invasão das escolas. Estão quebrando tudo, destruindo aquilo que insistem em dizer que estão defendendo. Uma morte já foi registrada em uma das escolas, fala-se em drogas e bebidas circulando entre os alunos. Como é possível estes adolescentes ficarem dias inteiros, semanas nestas escolas, sem supervisão? Quando uma mãe tem que sair para trabalhar e é obrigada a deixar sozinhos os filhos adolescentes de 14, 15 anos, logo o Conselho Tutelar vem acusando de abandono, trazendo um monte de problemas para os pais, falando em tomar os filhos.
Mas estes mesmos adolescentes podem ficar semanas nas escolas, misturados, com sabe-se lá o quê?
Outros milhões de jovens que têm a cabeça voltada para o seu futuro, que se dedicam um ano inteiro, horas por dia, sacrificando lazer, baladas, namoros para conseguirem estudar e conquistar uma vaga em uma boa universidade se veem de repente a mercê de um bando de jovens que se diz politizados. Estudaram por um ano, e na hora das provas sofrem tamanha pressão psicológica que provavelmente vai influenciar nos resultados das provas. É um absurdo que a falta de informação e a guerra de partidos prejudiquem tanto quem quer apenas estudar e trabalhar para que o futuro, o seu e de todo um país, seja melhor.

29/10/16

Não gosto do rumo que as coisas estão tomando neste país. Para começar a população anda tão revoltada que nem pensa mais. Tem quem diga que o povo está mais consciente de seu papel, eu não acho. Há alguns anos o povo ameaçou acordar, mas deu um suspiro e voltou a dormir. Foi só um mínimo momento de lucidez.
Agora ele está desperto para outra coisa: brigar, seja pelo que for. Mas não necessariamente consciente do motivo de sua luta.
Nas redes sociais é coisa comum vídeos de depoimentos, de entrevistas, de um tudo. Falo sempre sobre as redes sociais porque nos dias atuais elas dominam a maior parte da população. Atingem o povo mais que a TV, rádio e jornais. Qualquer um tem pelo menos um celular que a coloca dentro desta mídia poderosa.
Mas voltando à vaca fria, o que quero dizer é que assisti a muitas entrevistas durante as manifestações pró e contra Dilma, feitas com o povo e não era incomum ver pessoas do povo, participantes de manifestações, de um lado ou do outro, se mostrarem ignorantes do motivo que as levou ali.
No caso das ocupações das escolas em todo o país não é diferente. Os alunos se manifestam contra a Proposta de Emenda Constitucional, PEC 241, que limita para os gastos públicos, e que já foi aprovada com folga pela Câmara dos Deputados e agora segue para votação no Senado, e contra a reforma do Ensino Médio.
Na minha opinião as duas propostas são boas, mas não é da minha opinião que quero falar. Assisti a entrevistas onde alunos ficam mudos diante das perguntas dos repórteres sobre os dois temas. Não sabem o que dizer. Outro dia assisti uma entrevista onde uma estudante não sabia se a proposta de reforma no Ensino Médio era da direita ou esquerda. Teve que recorrer a uma outra pessoa para dar a resposta na entrevista e se descobriu de esquerda e que a proposta era da direita.
E assim vão acontecendo estas manifestações por falta de esclarecimento por parte do governo, por falta de detalhamento das suas propostas, por falta de explicar como se o povo "tivesse 4 anos" para que somente depois que as propostas fossem entendidas de fato por este povo, ele saber, com consciência, de que lado ficar.
Costumo dizer que uma boa assessoria de comunicação vende até ovo podre, avião caindo, maçã bichada. Mas é preciso empenho para vender o peixe ao povo. Até acho que o resultado das eleições em Itaúna poderia ter sido diferente se o povo fosse melhor esclarecido sobre os assuntos que mais se mostraram polêmicos, como a taxa do lixo e a venda do prédio da prefeitura, mas isto não vem ao caso.
E estas explicações, este conhecimento real da situação, tem que ser levado ao povo de forma bem simples, como um bê-á-bá, mostrando os prós e contras de se fazer mudanças ou de não fazê-las, mostrar o objetivo destas mudanças e o que se espera do resultado.
Se o povo, se os estudantes entenderem o que se passa vão fazer então uma manifestação consciente, contra ou a favor, mas justa, sabendo do que se trata e, principalmente, sem serem manipulados pelas velhas raposas da política.

22/10/16

"Chefinha, é bom ser rica?" Esta era a frase que o Cajuru dizia na maioria das vezes que me ligava. Eu sempre respondia: normal, não conheço outro jeito. Às vezes ele falava assim: "Chefinha, quantas já tomou hoje?" Eu brincava que tinha ficado zangada e dizia: são oito da manhã, Cajuru!
É, agora ninguém mais vai me perguntar estas coisas, nem me fazer esperar 40 minutos lá fora depois que ele dizia: me espera no portão que estou chegando aí pra pegar os jornais. E eu ficava esperando. Mas ele demorava a chegar porque tinha que ir parando, atendendo a um ou outro amigo ou ainda um cliente. Sempre atencioso, sempre abraçando o mundo. Mesmo atrasado para as reuniões de segunda-feira na ACONITA, ainda batia um papinho sobre qualquer coisa.
A partida do Cajuru, deixou a gente muito triste. Todo mundo sabia que ele lutava contra uma doença, mas todo mundo esperava que ele conseguisse vencê-la como sempre venceu todos os obstáculos que surgiram na sua vida. Mas não deu, né? De luto ficamos todos nós, seus amigos, que éramos sempre recebido com um sorriso bom, sincero. Nunca de mau humor. Nunca vi ele bravo mesmo quando a gente conversava sobre coisas não muito agradáveis.
Cajuru era um cara muito humano, queria o bem de todo mundo. Por isto se envolvia em tudo, se multiplicava em vários para atender a tudo, para melhorar tudo para todo mundo.
Mas teremos que aprender a conviver com sua ausência. Para amenizar a saudade que todos que o conheciam sentem neste momento existem as memórias, os toques, as lições, os conselhos dados. Vou sentir saudades, muitas. Já sentia antes, quando estava afastado, mas agora, pelo menos sei que ele está bem. Com certeza já encontrou com pessoas queridas que, como ele, também já se foram. Quem sabe já está ao lado do seu amigo Pedro Bavuso que também deixou saudades?
Cajuru, valeu. Obrigado por tudo, em nome de toda a nossa cidade. Obrigado pelo esforço diário de tornar nossa cidade melhor. Fui.
 
Eduardo Cunha
É, se prenderam o Eduardo Cunha não demora muito para que novas prisões sejam feitas. Mas que homem perigoso para a nação, este Cunha, viu?
Mesmo sem mandato Cunha está aterrorizando metade de Brasília. E não é pra menos. Quem deve, teme e pode temer mesmo porque li na manhã desta sexta-feira que Eduardo Cunha contratou o advogado Marlus Arns, que atuou no acordo de delação premiada de empresários na Operação Lava-Jato.
Um político muito aplicado no conhecimento das leis e do regimento interno da Câmara dos Deputados. A gente nota este conhecimento quando ouve o ex-deputado falar. E foram anos de aplicação do que aprendeu. Desde 1992 Cunha já era conhecido por suspeitas de crimes contra o Estado.
Mas ele ajudou este país, não se pode negar. Foi o maior adversário que o Partido dos Trabalhadores já teve. Agora, com a delação, novos nomes vão lhe fazer companhia nas prisões. Então, em agradecimento, pela limpeza que ajudou a fazer, ele merece uma cela com alguns luxos, mas deve continuar trancado.

15/10/16

Não chegamos a divulgar no jornal impresso, apenas colocamos na internet (www.gazetadeitauna.com.br) a notícia sobre Gustavo, servidor concursado do SAAE que teria fraudado o programa do Governo Federal, o PROUNI.
A notícia era de que ele foi denunciado porque quando se inscreveu no programa atendia às exigências mas depois assumiu cargo comissionado, o que lhe proporcionou ganhos mais rentáveis. A notícia dizia que ele havia então omitido a nova renda ao programa, adquirido carro em nome da mãe e preso pela Polícia Federal, encaminhado pela Polícia Civil de Itaúna. O carro também lhe seria tomado para ressarcir os cofres públicos.
Esta semana querendo atualizar a notícia nos informamos novamente sobre o caso e descobrimos que a maioria das informações estavam exageradas. Na verdade Gustavo nunca foi preso pela Polícia Federal. Houve sim a denúncia, mas ela parece ter sido feita por vingança. Ou seja, é fácil colocar a vida dos outros na sarjeta.
Não querendo fazer apologia ao crime, mas quando soubemos da notícia, de que estava na PF ou que o carro lhe seria tomado para ressarcir o governo, pensamos como há de fato dois pesos e duas medidas.
Imaginem quantos alunos devem existir por aí dentro deste programa que ocupam vagas de quem realmente precisa e de forma criminosa? Porque o servidor municipal em questão, precisa sim, apenas conseguiu um cargo melhor, mas com dias contados. Será que se contasse a nova situação ao programa não estaria colocando em xeque a sua formação? Acaba-se o cargo comissionado, mas a faculdade e seus custos continuariam. Talvez tenha errado sim, mas só ele? Vamos para o Bolsa Família.
No último levantamento no Governo Temer descobriu-se 2,5 bilhões de reais desviados do programa. Em uma das investigações por fraude neste programa uma pessoa conseguiu realizar durante 24 horas a inscrição de duas mil e quatrocentas pessoas, quando a média é de, no máximo, 15 pessoas por dia dado o extenso questionário a ser preenchido. Como este funcionário conseguiu?
Fizeram mutirão para fraudar o Bolsa Família?
Em junho deste ano foi descoberto que mais de 500 mil funcionários públicos fraudaram o Bolsa Família. Já pensaram no impacto que isto dá aos cofres públicos e na vida das pessoas que realmente precisam do benefício mas este não consegue chegar até elas?
Há muito tempo este país deixou de falar em milhões de reais desviados. Já superamos esta mixaria. Hoje só conversamos em bilhões de reais. Bilhões desviados, bilhões roubados, bilhões de déficit, bilhões em dívidas, bilhões, bilhões e bilhões. E vão ser devolvidos? Duvido.
Muitas famílias passam fome, continuam na linha da miséria que falaram que estava superada no país, agora até piorada. Muitos estudantes deixam de fazer suas faculdades porque milhares fraudam o PROUNI, não como o Gustavo, mas do jeito que a coisa anda é capaz de ter até recém nascido fazendo faculdade de medicina.

 

08/10/16

Neider Moreira e Fernando Franco governarão Itaúna nos próximos quatro anos. Não vai ser fácil governar Itaúna ou qualquer outro município porque os anos que virão serão de vacas magras para todas as prefeituras do país.
Muitos atuais prefeitos não se arriscaram em tentar uma reeleição. A falta de recursos financeiros, a crise política que o país vive nestes últimos anos com tantas denúncias de corrupção, além da suspensão de doações de empresas para as campanhas eleitorais fizeram esfriar o desejo de muitos prefeitos de continuar governando suas cidades.
Os repasses estaduais e federais, que são grande parte dos recursos de um município, têm minguado muito. A AMM, Associação Mineira de Municípios, no ano passado apresentou um debate sobre este assunto, que foi colocado para a imprensa itaunense pelo prefeito Osmando. Os municípios cada dia assumem mais serviços, que antes eram de responsabilidade dos estados e do Governo Federal, mas os recursos para manter estes serviços não aumentaram, pelo contrário, são cada vez menores. A crise financeira agrava ainda mais a arrecadação municipal.
Por receio de um panorama tão pessimista é que muitos prefeitos desanimaram de tentar a reeleição.
Osmando não se intimidou. Manifestou seu desejo de mais um mandato, de continuar seu trabalho. No mandato não deixou de investir na cidade com os poucos recursos que tinha em mãos. Correu atrás de deputados para ajudarem no que fosse possível. Itaúna não sofreu tanto com a crise. Os servidores não deixaram de receber seus vencimentos, serviços como saúde, educação, limpeza da cidade não foram interrompidos em nenhum momento.
Agora Neider é quem toma as rédeas da cidade. Mas o vereador Léo Bala, na reunião do Legislativo desta semana lembrou que o cenário que o prefeito eleito vai encontrar é bem diferente daquele que Osmando encontrou quatro anos atrás. Osmando deixa uma Prefeitura de novo respeitada até nacionalmente. Quando assumiu até encontrar uma cadeira inteira na prefeitura era difícil. Hoje já está viabilizada a construção uma nova sede, que se espera que não seja interrompida, como fez Eugênio quando assumiu a prefeitura e interrompeu a nova entrada da cidade que liga a Silva jardim à avenida Jove Soares. O benefício desta obra foi enorme, mas o ex-prefeito fez com que ela ficasse anos parada, apenas porque tinha sido iniciada por Osmando.
Neider dve dar continuidade ao que foi feito de bom. Taxa de lixo, prometeu que será revista. Algumas medidas impopulares sempre têm que ser tomadas, como revisão de IPTU, reajustes para o transporte público etc. A saúde, sua maior bandeira, fez compromisso de melhorá-la. Não será fácil manter todos os serviços funcionando porque os gastos com eles aumentam a cada dia e os repasses diminuem na mesma proporção, mas com planejamento certo, é possivel governar.
A atuação de Fernando Franco será de grande valia para as finanças do Município. Números é a sua profissão e é o que tem feito dele um profissional bem sucedido.
Que Deus abençoe os novos governantes, vereadores para que, apesar do que apontam as previsões sobre a estabilidade do país, tudo dê certo para a cidade e seus moradores.
Finalizando, é preciso reconhecer o trabalho feito por Osmando, porque fez o melhor que pode para Itaúna e seu povo.

30/09/16

Neste domingo vamos decidir a quem entregar a responsabilidade de cuidar de nossa cidade, da nossa saúde, da educação de nossos filhos, das nossas ruas, do nosso bem estar, da nossa água, enfim, de nossas vidas. É muita responsabilidade para uma pessoa assumir e precisamos saber em quem podemos confiar o nosso destino.Em 2004 por semanas a fio escrevi aqui nesta coluna como costumava ser o governo do PT nas cidades. Está tudo nos arquivos. Por semanas falei que quando ganha a eleição em uma cidade o PT nacional se mobiliza e preenche os cargos mais importantes com pessoas de sua confiança, na maioria das vezes completos desconhecidos do prefeito eleito. A história não me desmentiu. Não foi boa a nossa experiência com o ex-prefeito, mas nós caímos na conversa da mudança, de um governo inédito e ficamos por 8 anos sem investimentos, sem reformas, a cidade toda esburacada, um caos total. Elegemos oito anos depois Osmando, conhecido na cidade pelas suas 3 administrações anteriores, que nunca nos envergonhou, não destruiu nossa cidade, não nos colocou nas páginas policiais.
Osmando passou um ano inteiro pagando dívidas, recuperando nosso crédito até mesmo nos postos de gasolina. Ninguém mais vendia para a Prefeitura de Itaúna se não fosse à vista. Um ano, recuperando nosso respeito.
Depois, apesar de tudo, dos pequenos repasses dos governos estadual e federal, do aumento de nossas despesas, assumindo cada vez mais serviços, cenário ainda agravado pela crise financeira e política do país, a cidade não deixou de receber investimento. Se não tinha dinheiro para melhorias na cidade, buscava-se recursos junto a vários deputados parceiros da cidade.
Das páginas policiais a cidade passou a figurar em revistas de circulação nacional nos dando destaques nas mais diversas áreas. O próprio prefeito foi eleito pelo Conselho Regional de Administração – CRA – como o melhor gestor público de Minas Gerais. Isto não é pouca coisa. Com poucos recursos, uma cidade inteira para cuidar e Osmando se destacou. O melhor de Minas inteira! Quantas cidades tem Minas? 853! Quantas maiores e com arrecadação muito maior que do nosso município? Dezenas! Mas Osmando é quem se destacou!A cidade é limpa, todo dia a gente fica sabendo que o Sérgio Cunha ou está recebendo pessoas aqui para conhecerem a nossa coleta de lixo ou ele está em algum lugar apresentando o trabalho desenvolvido na cidade. A educação tem brilhado. Os esportes passaram a ter mais apoio, até financeiro para os atletas itaunenses defenderam o nome da cidade lá fora. Os PSFs todos equipados e reformados ou novos construídos.
Não me lembro de tudo, mas sei que ando pelas ruas e vejo com meus olhos o cuidado com a cidade.
Não podemos falar o mesmo do candidato Neider. Ele teve 12 anos para ajudar a cidade e não o fez. Fez até mais por outras cidades, mas Itaúna nunca esteve nos seus planos de verdade, a não ser na contagem de votos. Por isto Itaúna lhe negou três eleições. Por que cansou de suas promessas que não cumpriu, cansou das suas brigas com os prefeitos da cidade. Cansou de mentiras. Imaginem, ele disse em um programa de TV que arranjou recursos de milhões de reais para o hospital, mas como? Quando? Ao que sei, ele tirou um lucro fabuloso, usando o hospital.
Cada um que pense na cidade na qual pretende viver. O Osmando pode ser café requentado, mas é confiável, é ético, ama a cidade. Quem já viu o brilho nos olhos dele, como eu, quando fala de um novo projeto é que sabe. Não é pelo poder, pelo status, é pela satisfação de cuidar e cuidar bem.
Boa eleição para todos nós! Pela nossa cidade!

17/09/16

Na semana atrasada o candidato Neider Moreira não gostou muito da notícia que veiculamos do debate sobre a saúde acontecido na plenário da Câmara Municipal de Itaúna. Não gostou especialmente do título onde afirmamos que ele foi agressivo com os servidores da saúde pública de Itaúna. Procurou a Justiça Eleitoral para que fosse feita uma retratação. Águas passadas. Ainda é bem que nem todo mundo cai na conversa dele. E ele tem se esforçado. Em um dos releases que enviou ao jornal, acho que nas suas caminhadas pelo bairro Várzea falou sobre a necessidade de mais militares na cidade. Sobre o aumento do efetivo policial em Itaúna ele já prometeu antes quando estava deputado.
Soube que prepara a publicação de uma pesquisa eleitoral. Claro que só está fazendo isso porque tem sentido que a população anda arredia com relação aos seu nome. Se antes a gente só ouvia Neider, Neider, Neider, agora o papo é bem outro. A população tem escutado as propostas dos candidatos, tem cobrado serviço, coisa que Neider não tem para mostrar. Falar que vai fazer é fácil, qualquer um fala. Fazer é que são elas. Neider esteve 12 anos na Assembleia e 4 na Câmara de Itaúna e não tem um único projeto de relevância. Fiz uma consulta nos seus projetos de lei apresentados e só achei declaração de utilidade pública. O que poderia ter feito com a força política que ele diz que um prefeito precisa ter nas esferas estadual e federal ficou só na promessa. A gente sabe muito bem que até outdoor ele usou para mostrar obra que nunca veio.
Mas isto a população sabe. Promessas não cumpridas, divulgação de pesquisa falsa, todo mundo já sabe.
O que anda incomodando a população nestes dias, quando a aceitação dos nomes de Osmando e Mitre tem crescido, é a falta de ética do ex-deputado.
Muita gente já reclamou que recebeu o candidato em sua empresa mas ele não falou nada sobre plano de governo ou mencionou benefícios que trouxe para Itaúna. Só fica apontando defeitos na atual administração, nunca reconhece nada de bom na cidade, só fala mal. Depois acha ruim quando alguém fala que ele está agressivo. Seus apoiadores também andam aprontando e se o fazem, com certeza, é do conhecimento dele e tem sua bênção. No bairro Itaunense, durante conversa de Osmando e Mitre com os moradores, um carro de som da campanha de Neider teria acompanhado a comitiva e com som bem alto para não deixar a população ouvir as propostas de Osmando. É a velha política, isto sim, aparecendo, mostrando as garras. Isto mostra, além da falta de ética, desespero. Ele não consegue por muito tempo sorrir, abraçar gente suada, passar a mão na cabeça de menino. Dá conta não. Acaba se entregando. Triste disto tudo é que arrasta para este lamaçal todo um cara gente boa como é o Fernando Franco.
Neider podia hoje se candidatar a prefeito com apoio maior da sociedade e de políticos influentes. Alguns candidatos a vereador estão do lado dele por força de coligação e o nosso querido Ramalho só está lá por causa de placas que levavam seu nome em obras de seu governo e que foram retiradas e não devolvidas ao seu lugar, e lhe dou a maior razão, mas não foi por ordem de Osmando que alguém tirou do lugar e não recolocou. Mas está magoado.
Neider gosta de falar que prefeito precisa de apoios de outras esferas, precisa mesmo, mas ele se negou a dar apoio neste 12 anos que foi deputado.
Vamos então aguardar a pesquisa do Neider e somar direitinho para não dar mais que 100% como da última vez, né?