2004- 2005- 2006- 2007- 2008 - 2009 - 2010 - 2011 - 2012 - 2013 - 2014 - 2016 - 2017

21/04/18
Toma que o filho é seu. Seu?
Nunca uma associação lutou tanto pela saúde nesta cidade como a Avacci- Associação de Voluntários no Apoio ao Combate do Câncer em Itaúna- fez para ajudar os portadores de câncer e suas famílias. A Avacci sempre teve esta sensibilidade, este cuidado. Sempre ajudou com medicamentos, cestas básicas, equipamentos para pacientes. Sempre através de doações da população e do trabalho voluntário daquele pequeno grupo de pessoas que se juntou para diminuir a dor de que tem o diagnóstico tão terrível. Noutros tempos, há 18 anos, estas pessoas lutaram por espaços físicos para atendimento os pacientes, até conseguirem um lugar definitivo onde funciona hoje, lá nas dependências do Hospital Dr. Ovídio. Lutaram por recursos para a compra de medicamentos e de cestas básicas para as famílias fragilizadas. Lutaram por atendimento médico para quem necessitava e não tinha nem acesso a uma consulta.
Lembro-me de uma pessoa nesta luta, entre outras, que conhecia antes mesmo da fundação da associação: o "Sô" Carlos Angolano. Depois de lutar contra a doença, "Sô" Carlos lutou muito para ajudar outras pessoas acometidas pelo mesmo mal.
18 anos depois, comemora-se o credenciamento de um Centro de Oncologia na cidade. Claro, muita gente teve seus méritos nesta conquista. Mas as pessoas que começaram todo este movimento de ajudar portadores de câncer não devem figurar apenas como "apoiadores" como foram nominados no release que o Hospital Manoel Gonçalves enviou às redações dos meios de comunicação. Elas foram o começo de tudo, a razão de tudo estar acontecendo. Hoje, a gente vê fotos de eventos, com gente elegante, fazendo discursos em nome da Avacci, graças ao trabalho de outras pessoas que sequer serão homenageadas, receberão agradecimentos.
Recebemos releases de três fontes, nenhuma delas reconhecendo o valor da Avacci. Todos eles tomando para si o filho. Ninguém falou da Avacci nestes releases, dando-lhe o merecido destaque. Um dos grandes batalhadores pela causa escreveu nas redes sociais o seguinte, no dia 18, um dia após o anúncio do credenciamento: "Até o momento a Avacci só tomou conhecimento da autorização do Ministério da Saúde para o Centro Oncológico através das redes sociais. Nenhum dos protagonistas do acontecimento se dignou de fazer uma comunicação à Avacci. Talvez a participação da entidade tenha sido irrelevante".
Os "protagonistas" se acham dono da ideia, do trabalho. Que nada! Só fizeram sua obrigação ao assumirem seus cargos, seja na Prefeitura, seja no Hospital Manoel Gonçalves, seja na Câmara Federal. Só obrigação.
É triste ver que a Avacci parece ter sido esquecida neste momento de grande alegria. Mas é preciso dizer obrigada "Sô" Carlos e toda a equipe que começou tudo isto, que deu início a este trabalho, que lutou, que foi de porta em porta pedir doações, que sofreu decepções quando foram roubados, que levantou e seguiu em frente. Parabéns, por tudo que fizeram pelos portadores de câncer em Itaúna.
 
 
07/04/18
Esta novela da Autotrans já está indo longe demais. É um desrespeito com o Legislativo itaunense a empresa simplesmente não se pronunciar, não acatar a lei e, ainda por cima, continuar demitindo os poucos funcionários que ainda exercem o trabalho de cobradores. Tal atitude demonstra que não pretende mesmo acatar a lei municipal.
A Prefeitura de Itaúna agiu, no mínimo, de modo estranho, ao entrar com uma ADIN - Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a Lei Marcinho, que foi criada e aprovada pelo Legislativo com o único objetivo de evitar acidentes com os ônibus da Autotrans, que sempre estão cheios e que, no caso de uma ocorrência poderia ferir muitas pessoas. A Prefeitura agindo desta forma ficou do lado oposto ao do povo. Se a lei é inconstitucional deveria partir da empresa a ADIN, questionar a lei; o Município não precisava tomar suas dores até porque, mais uma vez, a lei foi criada para beneficiar a população de Itaúna.
 
Lula foi ou será mesmo preso?
Infelizmente a edição do jornal precisa ser enviada antes das 17 horas desta sexta-feira para ser impressa e assim não é possível esperar o desenrolar dos fatos sobre a prisão de Lula. Ainda é incerta sua detenção já que no país, várias são as artimanhas para um condenado com recursos enrolar sua prisão.
O juiz Sérgio Moro pode ter sido precipitado em acatar a decisão do TRF-4 de prender Lula. Claro que não somos doutores no assunto, mas depois de ler e ouvir as mais variadas opiniões de especialistas em direito por todos os meios possíveis de comunicação, podemos duvidar que esta história tivesse mesmo o fim alardeado nesta quinta-feira em todo o território nacional.
Ocorre que entre as artimanhas está o embargo dos embargos. Condenado comum nem imagina o que venha a ser isto, mas, para os condenados com os melhores advogados, este é mais um recurso para prolongar liberdade de um réu condenado. O primeiro embargo à decisão de segunda instância foi negado e então restaria para ser analisado este embargo do embargo (só mesmo no Brasil). E este não foi julgado, mas o desembargador federal Nivaldo Brunoni, que é desembargador substituto, do TRF-4, decidiu por conta e risco permitir a Moro a prisão de Lula.
Os embargos, segundo os entendidos, são julgados por mera "cortesia", nunca dão em nada e os embargos dos embargos, idem, mas têm que ser respeitados. Mas, se o embargo do embargo do advogado de Lula não foi julgado, então os recursos da segunda instância não foram de todo julgados, o que lhe garantiria ainda estar solto.
Nesta sexta-feira, um amigo de Lula, um jornalista, Ricardo Kotscho, do jornal Folha de S.Paulo, postou em seu blog, que o ex-presidente não pretendia obedecer à ordem de Sérgio Moro, de se entregar em Curitiba. Pode ser, até este momento, 12h25 de sexta-feira, só mais uma artimanha para ganhar tempo. Ou, pode mudar de ideia e se entregar em São Paulo, em qualquer delegacia da PF.
Infelizmente, teremos que fechar a edição do jornal sem saber com certeza do desfecho desta história.
Até agora, Lula pode ou não ser preso. Disto só saberemos depois do jornal já impresso. Mas fica aqui nossa opinião sobre o assunto. O desembargador substituto pode ter sido afoito e pode ter dado munição para os aliados de Lula condenarem a decisão de Moro como mera guerra política. O ministro Marco Aurélio pode acatar a liminar contra a prisão. Tudo pode acontecer lá em cima. Mas, aqui em baixo a vida continua do mesmo jeito. A falta de dinheiro, de saúde, de educação, de segurança, que nós, fantoches nas mãos dos políticos poderosos vivemos no dia a dia.
 
24/03/18
Muito difícil ouvir o que a Jennifer disse na Câmara sobre a depressão e as suas consequências, sem se emocionar e se incomodar.
Mas como ela mesma disse, é preciso por o dedo na ferida. Realmente só palestras não ajudam muito. É preciso se envolver, prestar atenção, cuidar com muita dedicação, envolver a família, buscar, senão a cura, pelo menos amenizar e não permitir que a doença leve a pessoa ao suicídio.
A imprensa traz em suas páginas notícias sobre todo tipo de morte, acidentes, assassinatos, crimes dos mais violentos, na maioria das vezes em letras garrafais na primeira página, para chamar atenção do leitor em uma banca de revistas. Mas, não tem o mesmo tratamento com a notícia da morte de um suicida. Não existe um acordo entre os responsáveis pela comunicação, jornais, revistas, televisão, internet e rádio, que impeça a divulgação destas mortes. O que impede divulgar a morte decorrente de um suicídio é uma ética silenciosa porque é duro para a família ver a tragédia ser estampada nas páginas de um jornal. E o suicídio é muito pessoal. Se alguém ler uma notícia sobre uma morte assim, vai querer detalhes. Como foi? Porque foi? Foi traído? Devia dinheiro? As pessoas podem passar a indagar os motivos e isto vai minando ainda mais a privacidade da vítima e da família.
Mas isto não seria tratar a coisa como se não existisse? Noticiar, com discrição, não seria expor o problema, mostrar à sociedade o que está acontecendo? Sim, porque quando sabemos de alguém que se matou, a notícia corre em tom baixo, pouco se comenta, evita-se o assunto. Mas não deveria ser ao contrário? Estes casos não deveriam ser noticiados para alertar o poder público, a população, do problema? Será que noticiar acabaria dando força para quem já tem em seu coração a vontade de acabar com a própria vida? Mas, não poderia também servir de alerta para a família do doente de depressão e seu grupo social?
A imprensa não pode prestar o único serviço de contar os fatos, noticiar acontecimentos. Seu papel deve ir, além disto. A responsabilidade com a comunidade deve ser seu principal objetivo. E suicídio é questão de saúde pública sim, como bem disse Jennifer, então deve ser tratado como tal. Não pode ser omitido, como se não existisse, sua causa e consequências. Mas, como ela também disse não dá para ficar em uma mesa, planejando as ações do Setembro Amarelo, enquanto aqueles que necessitam de ajuda, ajuda séria, comprometida, morrem.
Jennifer falou de seis vítimas da depressão que se mataram nos últimos cinco meses. Alguém sabia que eram tantas? Às vezes temos notícias de uma ou duas e, talvez por isto, não nos inteiramos da magnitude do problema.
E o poder público tem que correr contra o tempo para salvar vidas. Não há justificativa para a não contratação de um, mas de vários profissionais capacitados para encarar o problema e ajudar estas pessoas que sofrem de uma tristeza profunda, de uma falta de ânimo, que não têm mais vontade de lutar, reagir. As famílias também precisam ser acolhidas neste processo. Nesta doença não se trata apenas daquele que apresenta os sintomas, cuida-se de todos os mais próximos, para que eles possam entender o mal que consome seu ente querido e possam ajudar a vítima da depressão a voltar a ter vontade de rir, trabalhar, comer, viver.
Não há desculpas para não ouvir, ouvir de verdade, o apelo de Jennifer, aqui em Itaúna e de todos os outros apelos por este mundo afora.
 
 
17/03/18
Quinta-feira, quem assistiu ao Café com Jornal, da Band, ouviu a entrevista feita onde o juiz federal Roberto Veloso que disse que a greve dos juízes federais não é por causa do auxílio moradia, que está em discussão depois da denúncia de que um casal de juízes, que mora na mesma casa, recebia dois auxílios moradia. Veloso disse que há muito não recebem aumento salarial e que isto deixa o juiz desacreditado pela sociedade, quando outros profissionais recebem mais que eles.
Ora, fica difícil receber mais que eles porque em uma pesquisa descobrimos que são cerca de 800 "penduricalhos" que podem ser anexados aos salários dos juízes federais, legalmente.
Vejam, ou melhor, leiam o que descobrimos sobre os salários dos juízes, alguns destes "penduricalhos", do site mistobrasilia.com.br. Só falta reclamarem que recebem menos que Neymar Junior.
"Segundo levantamento da corregedoria do CNJ, hoje há mais 800 itens diferentes previstos nas folhas de pagamento do Judiciário, dificultando a atuação do órgão de controle quanto a pagamentos ilegais.
Auxílio-moradia: Valor fixado em R$ 4,3 mil, pago a todo juiz que requerer o pagamento, mesmo quando possui imóvel na cidade em que trabalha, como o juiz Sergio Moro, por exemplo.
Auxílio-alimentação: Cada juiz recebe R$ 884 por mês.
Auxílio-saúde: Valor varia de R$ 250 a mil reais, conforme a faixa etária do beneficiário.
Auxílio pré-escolar: Cerca de R$ 700 por filho de até os cinco anos de idade.
Ajuda de custo: Paga para custear despesas de transporte e mudança. Valores podem chegar a quase R$ 30 mil.
Auxílio-funeral: Família recebe valor equivalente a um mês de remuneração do juiz. Se funeral for pago por terceiro, ele também é indenizado.
Abono de permanência: Pago quando o servidor já poderia se aposentar e continua trabalhando, cerca de R$ 3 mil mensais.
Férias não tiradas: Magistrados têm direito a 60 dias de férias por ano. Quando não tiram o período inteiro, podem requerer pagamento relativo aos 30 dias não tirados. Valor que para muitos juízes gira em torno de R$ 30 mil.
Gratificação por exercício cumulativo: Paga para juízes que exercem mais de um cargo. Varia de cerca de mil reais mensais a valores próximos de R$ 10 mil mensais.
Gratificação por encargo de curso ou concurso: Paga, por exemplo, aos servidores que participam de cursos de capacitação como instrutores ou na preparação de material didático. Os valores vão de R$ 500 a R$ 25 mil, dependendo da atividade realizada.
Gratificação natalina: Cerca de R$ 900 pagos no mês de dezembro
Auxílio-natalidade: Valor de cerca de R$ 650 no mês de nascimento do filho".
Será que na Justiça Federal, onde o valor médio foi de R$ 50 mil por mês no ano passado, precisa mesmo de tanto auxílio? Qual é mesmo o valor do Bolsa Família? 
 
 
10/03/18
Sobre calçadas
Não é de hoje que apontamos aqui o estado deplorável de muitas calçadas na cidade. Se o imóvel está vazio, se é um lote, o proprietário não se preocupa em manter o passeio transitável. Na verdade, em muitas casas ocupadas, o proprietário também não se incomoda muito. Na Rua Getúlio Vargas tem um passeio, logo no início que parece casca de ovo todo quebradinha, com raiz de árvore exposta e tudo o que há de melhor para causar tombos e torções de pé. Na Avenida Jove Soares tem passeio com escada. Para que serve mesmo um passeio com escada? Para ser usado apenas pelo dono do imóvel, deve ser, porque para transeunte passar, é que não é. Muitos bares na avenida agora decoram seus passeios com piso não apropriados para, por exemplo, dias de chuva. São pisos bonitos, mas inadequados.
A senhora Neuza tem toda razão, fez bem em ir à Câmara chamar a atenção para o problema. Tem razão também quando fala para os vereadores passearem pela cidade. A pé. Descerem, por exemplo, a rua do Banco Real. Deviam andar pela Rua Diógenes Nogueira e muitas outras.
Tem passeios que precisam ser escalados. Os proprietários fazem rampas inacreditáveis para entrar com seus veículos e nem pensam no cidadão que precisa usar a calçada para ir e vir.
O Plano Diretor chegou à Câmara para ser aprovado pelos vereadores. Muitas emendas devem ser feitas a ele. Então que os edis deem uma volta pela cidade, a pé e analisem o problema que aborrece, incomoda e coloca em risco a integridade física do cidadão. E coloquem dentro do PD uma regra, se ainda não houver, para as calçadas que devem ser planas; se decoradas com pisos, que estes sejam antiderrapantes. Coloquem que calçada não pode ficar quebrada, de jeito nenhum. E coloquem também regras para as rampas de acessibilidade porque as que vemos na cidade, com raríssimas exceções, parecem o Pico da Neblina. O cadeirante deve precisar de, no mínimo, duas pessoas para empurrar uma cadeira sobre eles.
Se encaixar regras assim no PD, vai ser excelente e, se for legal, exigir hoje de quem tem estes passeios estranhos à sua natureza, que os conserte. A cidade agradece.
 
Segundo a vereadora Gláucia Santiago, informando a um colega na última reunião da Câmara, os recursos e benefícios que pareciam perdidos por causa de documentação ou perda de prazo, ainda podem ser recuperados. A Prefeitura de Itaúna anuncia que está trabalhando para a liberação destes. Mas, os recursos de 70 mil reais que seriam destinados à saúde pública não foram mencionados no release da assessoria.
 
 
03/03/18
Itaúna não pode, não deve e não quer reviver aquele período dos mandatos do ex-prefeito Eugênio Pinto, quando eram tantas as suspeitas de irregularidades. Aquilo tem que ser passado e tem que ser levado como aprendizado para os itaunenses.
A suspeita de irregularidades no Canteiro de Obras, publicada na semana passada pelo jornal Folha do Povo e motivo de pedido de informações pela vereadora Otacília, acompanhada por seus colegas, tem que ser esclarecida e, se verdade for, os envolvidos devem ser demitidos e entregues à Justiça para que possam responder.
Segundo a vereadora, depois da matéria publicada, várias pessoas estiverem em seu gabinete, ou mandaram mensagens, confirmando a suspeita de que servidores estariam vendendo combustível do Município e até uma peça para um carro particular teria sido comprada, em nome da Prefeitura.
É preciso apurar o mais rapidamente possível, espera-se que o prefeito Neider Moreira e o vice-prefeito, Fernando Franco, que acumula a função de secretário de Infraestrutura, sejam duros no caso e que se evite desgaste, mais desgaste para a administração.
Fernando Franco deve estar decepcionado, mais que todos. Há poucas semanas, em entrevista a este jornal, elogiou sua equipe, o trabalho que realiza, apesar do salário baixo e do serviço pesado, chamou-a de "canteiro de guerreiros" e uma suspeita como esta deve tê-lo deixado muito frustrado. Por isto mesmo que tudo tem que ser investigado o mais depressa possível para que a equipe de bons servidores não seja apontada como farinha do mesmo saco com uns poucos que teriam decidido tomar para si algo que é bem público.
 
Incompetência, má vontade também é crime
Mas o servidor não comete crime apenas quando se apossa de um bem público. Quando, por preguiça, picuinha, má vontade e até incompetência, deixa de fazer direito sua função, comete crime também.
A vereadora Gláucia estava indignada na reunião da Câmara com toda a razão. Ela vem desde que assumiu seu mandato, correndo atrás de tudo que é possível para melhorar a saúde em Itaúna, conseguindo até uma UTI móvel, exames, veículos, recursos de todas as naturezas e, em algumas vezes, foi até ignorada em fotos e releases que divulgam estes benefícios.
Foi visível sua indignação por terem perdido recursos de 70 mil reais, dos quais ela já falava com orgulho de como poderia ser usado, de como ajudaria a saúde pública em Itaúna. Então alguém não presta atenção e não faz o mínimo para o qual foi contratado, para que tudo se concretize? Não, a população não pode deixar que isto seja um hábito, como disse o vereador Silvano.
Não podemos perder o que os vereadores têm conseguido. Espera-se que a equipe que administra a cidade seja mais responsável, mais atenta, para não jogar por terra o trabalho dos legisladores itaunenses.
 
24/02/18

Boatos sobre a vacina da Febre Amarela
O controle da Febre Amarela está sendo prejudicado por divulgações mentirosas na internet. A vacinação contra a doença tem diminuído muito em todo o país e não é porque o índice esperado de pessoas imunizadas foi atingido. Em alguns lugares, muitos na verdade, a vacinação chegou a menos de 60%. A causa apontada para a diminuição da procura da vacina é o medo das pessoas por causa de mentiras sobre a segurança da vacina. Há quem compartilha que a vacina pode matar, e até que a doença é na verdade uma conspiração do Estado, leia-se Michel Temer, para desviar atenção de outros assuntos. Tem de tudo.
Responsabilidade sempre em compartilhar e até mesmo em curtir tudo que vê pela frente nas redes sociais. E, sempre que possível, desminta a notícia, publicamente. Para isto existem sites que cuidam apenas de desmentir boatos como o www.boatos.org.
As vacinas são importantes para a disseminação de várias doenças e por isso os bebês já começam a tomar vacinas logo nos primeiros dias de vida e este cuidado salva muitas vidas.

Sobre a violência em Itaúna
Há cerca de duas ou três semanas a vereadora Otacília Barbosa questionou em reunião do Legislativo a falta de segurança na cidade e as afirmações do comando da Polícia Militar em Itaúna de que a criminalidade tem diminuído. Ora, diminuído não seria bem a palavra, porque apesar da PM enviar aos jornais e divulgar em seus sites e redes sociais apenas ocorrências de apreensão de drogas e uma ou outra recuperação de veículos furtados/roubados, todo mundo sabe da quantidade de assaltos a residências, comércio, arrastão em bares!, furtos aos montes. Nada disso é divulgado, mas acontece.
Mas, mais segura, a cidade não é, não está. Mas a cidade está sim muito violenta. Além dos bandidos da cidade, que são centenas, ainda temos “mercado” atrativo para bandidos de cidades da região que vêm aqui e assaltam grandes lojas. E os relatórios de que tudo está sobre controle? A criminalidade tem diminuído?

Trânsito
Abrindo um parêntese nesta conversa vamos falar de trânsito. Em Itaúna, a faixa para pedestre atravessar uma via não é respeitada, a não ser em frente à Delegacia de Polícia ou onde uma viatura estiver visível. Do contrário, motorista não respeita mesmo. Não há fiscalização disto? Cadê as câmeras de vídeo na cidade? Que novela mais longa estas das câmeras. Itaúna precisa de câmeras instaladas em diversos pontos da cidade, mas muitos mesmo. Para fiscalizar o trânsito, para evitar ou se não evitar, pelo menos mostrar delitos e crimes. Quem sabe um dia? Quando outras cidades já estiverem jogando fora suas câmeras e adotando tecnologia mais moderna, sobrem algumas para Itaúna usar.

 
10/02/18
O brasileiro é engraçado. Reclama sem parar, de tudo; muitas vezes, na maioria delas, com toda a razão. Reclama dos preços altos, reclama da tarifa do coletivo, reclama da mensalidade da escola do filho, do aumento da cerveja, da falta de médicos suficientes e recursos idem, para cuidar da sua saúde. Mas, nas raras vezes que a saúde pública cumpre seu papel em plenitude, o brasileiro não usufrui.
A Febre Amarela mata mais depressa que a dengue e outras tantas doenças. E tem vacina de graça em todo lugar.
Em Itaúna, ser imunizado é muito tranquilo; aqui tem 22 postos de saúde, todos com vacina de sobra para todo mundo. Não dá para perdoar alguém que se contamina com Febre Amarela porque não se vacinou. Não dá para perdoar alguém que não se preocupou consigo, não se preocupou com seus entes queridos, com seus amigos e simplesmente se deixou adoecer.
Outro dia assisti um tolo, um rapaz na rua, sendo entrevistado sobre ter ou não ter sido imunizado. O tolo respondeu: "Ah, ainda não... por enquanto não tá matando muita gente!" Ah, se estou ali falando com ele, dava-lhe uma sacudida para acordar para a realidade!
Então gente, não vamos dar bobeira não. Perder esta briga para um mosquitinho é demais, né? Vacinar é a única forma de se proteger, não há outro jeito. O negócio é se vacinar contra a Febre Amarela e torcer para que outras vacinas, contra tantas outras doenças, sejam disponibilizadas na rede pública de saúde para todos nós brasileiros.
A gente não costuma dizer que "de graça, até injeção na testa!"? Então, é de graça!
 
Maravilhoso o "Pau de Gaiola" arrastar tanta gente na tarde/noite de quinta-feira passada. Alguns mais "sombrios" daquela turma do contra tudo e contra todos diriam que o povo esquece tudo, as contas, a corrupção, a fila na saúde, a educação precária, as escolas caindo aos pedaços, e resumiriam assim: pão e circo.
Mas deixemos o povo extravasar. Se tanta coisa ruim tá acontecendo no nosso país, se aqui em Itaúna muita coisa precisa tomar rumo, melhorar, por que não fazer uma pausa e esquecer pelo menos por 4 dias que tudo isto está acontecendo e brincar? Todo mundo tem direito de extravasar, de agitar, sambar, cair na sofrência dos blocos sertanejos ou dançar funk na avenida. Mas, dancem, troquem beijos, abraços, chamegos, mas se a coisa evoluir, não deixem a camissinha de lado. As DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis adoram carnaval também.
E homens, por favor, respeitem quem não quer ser beijado, tocado. E todos os foliões, respeitem as diferenças. Opção sexual e cor da pele não são nada anormais. As pessoas apenas são negras ou brancas demais, gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. Só isto, mas acima de tudo são pessoas.
Vamos brincar, rir, divertir, beijar, curtir, mas com alegria, com respeito aos outros, porque quarta-feira de cinzas sempre chega. Bom carnaval!
 
Hoje o Observatório da Corte está parecendo Secretaria de Saúde!
03/02/18
A coleta de lixo em Itaúna precisa ser revista. Os coletores levam o que querem, no dia que querem. Não adianta separar com responsabilidade, se eles cismam, não levam mesmo. O lixo orgânico, até que, para quem tem horta em casa, dá para transformar em adubo, mas são poucos os que podem fazer isto e este é melhor coletado. Mas, o lixo seco tem a pior coleta possível. Não adianta mesmo fazer nada.
Uma coisa que é lixo reciclável são as embalagens plásticas de alimentos. Se elas não forem lavadas com sabão, sempre vão apresentar algum cheiro e se o coletor detecta este cheiro, pronto, o lixo não é recolhido. Parece que, para que a coleta seja feita a contento, a população, além de separar o lixo, vai ter que lavar, colocar amaciante e passar, antes de colocar algumas resíduos no lixo. Não vale o que cobram.
A Prefeitura tem divulgado que 90% dos focos do Aedes estão nas casas, mas, estão também pela cidade. Na avenida Dr. Miguel Augusto não existe limpeza entre o passeio e a linha férrea. Muita gente que passa pelo local joga ali copinhos, garrafas, plásticos, diversos materiais que acumulam água. Mas, ninguém limpa.
 
Esta semana foi notícia nos telejornais a incrível porcentagem de usuários do transporte público que pula a roleta para não pagar passagem. Em algumas linhas da região metropolitana de BH, 90% dos usuários do transporte público pulam as roletas e não pagam a passagem. Além do alto preço do transporte público, do desemprego (12,5% em 2017) o que já diminui o número de usuários e aumenta o número daqueles que usam, mas não podem pagar e pulam a roleta. Mas, uma outra justificativa foi apontada e é a mesma situação que acontece em Itaúna: a eliminação da figura do trocador. O motorista, que já tem que prestar atenção no trânsito e que deveria ser apenas isto, agora tem que fazer conta, receber e dar troco. Ainda querem que ele preste atenção em quem pula a roleta ou ainda que se levante e enfrente os praticantes da arte? Claro que não! Ele que já se arrisca demais em assaltos, em acidentes, vai se meter em mais confusão? As empresas de transporte coletivo determinam que caso um usuário pule a roleta, o motorista deve fechar as portas do ônibus e dirigir até o posto policial mais próximo. Tá bom! Coitado, não vai durar mais duas horas depois disto!
Em Itaúna, no ano passado, 4 de abril, quando de várias discussões sobre o transporte público em Itaúna, foi aprovado um projeto de lei de autoria do presidente da Câmara Municipal de Itaúna, vereador Márcio Gonçalves que proíbe que na cidade o motorista de ônibus coletivo desempenhe também a função de cobrador, porque coloca em risco a integridade física dos usuários. Até hoje ainda existem horários quando o motorista tem função dupla.
Além de analisar as planilhas de custo da empresa Autotrans, a Prefeitura de Itaúna deve impor que a lei seja cumprida na cidade.
 
E o professor se foi
Deixamos de ter no nosso convívio o grande professor Marco Elísio. Era uma pessoa e tanto. Me lembro dele, quando estudava na Escola Normal, trabalhando como um louco para que Itaúna fosse reconhecida pela Unesco como Cidade Educativa. Lembro também que foi na matéria dele que tive minha primeira nota vermelha na caderneta, em Geografia. Depois por inúmeras vezes ele esteve na minha casa e a conversa principal sempre foram as plantas. Minhas mais lindas suculentas vieram do jardim que ele tem nos fundos de sua casa, um lugar lindo. O que dizer? Todo mundo vai embora, mais cedo ou mais tarde. Só mesmo agradecer os ensinamentos na escola e ao longo de nossa convivência fora da escola. Obrigada, professor.
 
27/01/18
E o Lula, hein?
O julgamento mais esperado da história política deste país aconteceu na última quarta-feira, dia 24 de janeiro. O país parou para voltar toda a sua atenção para a cidade de Porto Alegre, para a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O dia inteiro a mesma coisa na TV, nas rádios, só julgamento. Na verdade até hoje não se fala em outra coisa, pelo mundo inteiro.
Ao contrário de ser salvo, ganhar do juiz Sérgio Moro, Lula recebeu uma pena maior. Então todos as manifestações de "Lula na cadeia" agora vão ter seu desfecho? Não! Nada mudou, só a pena agora é maior. Mas ele continua soltinho da silva e pode ainda ser até presidente do Brasil de novo.
Depois do julgamento do recurso contra a condenação pelo juiz Sérgio Moro do ex-presidente Lula da Silva, li, reli, tornei a ler e li de novo para tentar entender o que aconteceu e o que vai acontecer. Confesso que não entendi nada.
Várias assinaturas, 1,3 milhão delas, foram entregues ao Congresso Nacional em 2010 para a criação da lei da Ficha Limpa, ou seja, quem for condenado, por vários crimes, entre eles desvio de verbas públicas, compra de votos ou uso eleitoral da máquina, não pode concorrer em eleições.
Mas na prática acontece isto? A lei no país é tão estranha, dá tantas voltas e acaba quase sempre na impunidade.
O recurso de Lula da Silva não só foi negado como ainda teve sua pena aumentada mas, e daí? Ele não foi preso! E ainda saiu fazendo discursos contra a Justiça brasileira! Acusa a todo instante de ser perseguido, um santo como ele!
E vai concorrer às eleições! Joga isto na cara da Justiça o tempo todo. Desafia. Trata tudo como um circo, com escárnio, ri do povo. Ri da parte do povo que o quer longe de um governo e ri mais ainda do povo que o idolatra, que apoia seu plano de poder.
Seus advogados vão mexendo aqui e ali, tudo dentro da lei, desviando de qualquer obstáculo e o mês de agosto vai chegando. O máximo que vai acontecer é ele concorrer às eleições para presidente sem poder fazer campanha, mas pergunto de novo, e daí?
Ele vai precisar mesmo fazer campanha para vencer as eleições deste ano? Ainda mais com esta crescente onda de não votar que o brasileiro está indo. Não vai votar porque não considera um só candidato merecedor de seu aval, mas milhões de vermelhinhos vão votar e é ai que a eleição de Lula vai ser garantida.
É frustrante ver que a Justiça, que pode defender este país, tem tantos caminhos, tantos atalhos e desvios que de nada adianta condenar um corrupto como o Lula. Sempre ele vai conseguir um atalho.
Tomara que eu esteja errada.
 
 
20/01/18
Quarta-feira, dia 24 de janeiro, se aproxima e neste dia o Brasil vai parar, ficar atento à decisão da justiça se confirma ou não a sentença do juiz Sérgio Moro que condenou o ex-presidente Lula da Silva a mais de nove anos de prisão pela acusação de ter recebido o apartamento triplex no Guarujá como parte de pagamento de propina.
O Ministério Público Federal enviou nota à imprensa de todo o país na quinta-feira, comunicando que o procurador regional da República, Maurício Gotardo Gerum não pedirá a prisão imediata de Lula caso sua condenação seja confirmada, tudo correrá conforme usual, ou seja, se condenado vai ter o direito de aguardar o julgamento dos recursos de segundo grau.
A decisão pode parecer uma vitória do PT que passou os últimas semanas se preparando para uma guerra, literalmente, em Porto Alegre, mas não é, apenas trâmites legais.
Nas redes sociais defesas e ataques, mentiras, boatos, que no final virou ira, ódio dos dois lados. Cerca de 200 mil pessoas, segundo notícias, estarão na cidade que não terá a presença do réu, já que seu pedido de ser novamente interrogado foi negado.
O senador Lindbergh Farias chegou a postar um vídeo na sua rede social, em apoio a uma declaração ameaçadora da senadora Gleisi Hoffmann, atual presidente do partido dos Trabalhadores. A senadora disse a um site que "para prender Lula, terão que matar muita gente" e o senador por sua vez, incitando os petistas, gravou um vídeo dizendo "a gente tem que ter uma outra esquerda, mais preparada para o enfrentamento, para as lutas de rua. Chega. Não é hora de uma esquerda frouxa, burocratizada, acomodada. Nós não vamos aceitar a condenação do presidente Lula."
Os militantes petistas não vão recuar se Lula tiver ou não sua condenação confirmada. Cegos e surdos a qualquer argumento só conseguem acreditar que foram traídos, que Lula é uma santo, Gleisi, uma santa e todos os petistas que foram parar na cadeia estão lá por perseguição política. Contra estes, que se negam a enxergar a realidade, não adianta argumentar e muito menos bater de frente. Estão prontos para a luta, a guerra que faz o sangue deles ferver. Cegos, vão derrubar tudo que estiver na frente, vão destruir patrimônios que não construíram, matar e ferir pessoas que nada de mal lhe fizeram, não vão medir consequências. Vão fazer de tudo para que este país se torne mais um dos países do mundo e aqui das América Latina, com gente passando fome, corrupção desenfreada, miséria, subdesenvolvimento, países onde falta tudo e programas de governo para os mais carentes. Aliás onde toda uma população, com exceção da classe política da situação, é carente.
Com Lula na cadeia ou não, o que o povo brasileiro precisa é lutar, sem uso da força física, para tirar de vez deste país este câncer que se tornou o PT.
O julgamento do recurso será transmitido ao vivo pelo YouTube a partir das 8h30.